Grã-Bretanha e EUA multam cinco bancos por manipulação das taxas de câmbio

Os reguladores norte-americano e britânico anunciaram hoje que impuseram multas globais equivalentes a 2,5 mil milhões de euros contra cinco bancos internacionais, acusados de terem manipulado o mercado das transações de divisas, informa a AFP. A Autoridade de Conduta Financeira britânica (FCA na sigla em inglês)anunciou hoje coimas no valor de 1,1 mil milhões de […]

Os reguladores norte-americano e britânico anunciaram hoje que impuseram multas globais equivalentes a 2,5 mil milhões de euros contra cinco bancos internacionais, acusados de terem manipulado o mercado das transações de divisas, informa a AFP.

A Autoridade de Conduta Financeira britânica (FCA na sigla em inglês)anunciou hoje coimas no valor de 1,1 mil milhões de libras (1,4 mil milhões de euros) contra os bancos britânicos HSBC e RBS, os norte-americanos Citibank e JP Morgan Chase e o suíço UBS, os quais deverão pagar, cada um, mais de 200 milhões de libras (250 milhões de euros) por “terem falhado no controlo de práticas de negócio nas suas transações de câmbio”.

O Barclays não está incluído nas multas a pagar, mas continua sob investigação, segundo a AFP.

Ao justificar a multa, a FCA assinala em comunicado que esta falta de controlo prejudica a confiança no sistema financeiro do Reino Unido e coloca em perigo a sua integridade.

Já o regulador norte-americano (CFTC, na sigla em inglês) anuncia que os mesmos cinco bancos iriam ser multados em 1,4 mil milhões de dólares (1,1 mil milhões de euros).

A entidade dos Estados Unidos informa que os bancos estavam a ser punidos por “tentativa de manipulação, ajuda e cumplicidade” com outros bancos para “manipularem as taxas de referência globais com o objetivo de beneficiar as posições de certos negociadores”.

OJE/Lusa

Recomendadas

Alemanha reitera apoio a gasoduto nos Pirinéus e diz que França não excluiu projeto

O chanceler alemão destacou que este projeto tem uma perspetiva de longo prazo e que, para além do transporte de gás no imediato, servirá para fornecer outras energias, como hidrogénio, no futuro.

“Nova atitude da TAP perante os gastos terá de abranger também os pilotos”, desafia SPAC

Sindicato dos Pilotos diz que “enquanto uns têm cortes brutais no seus vencimentos” e ainda há “processos de despedimento em curso”, renova-se o parque automóvel dos cargos de direção “com 79 viaturas”.

TAP diz que renovação da frota automóvel permite poupar anualmente 630 mil euros

A TAP diz que a opção de comprar 50 BMWs representa uma poupança superior a 20% do valor mensal da renda e tributação, relativamente a novos contratos de renting e está em linha com o plano de reestruturação.