Graça Freitas manifesta pesar pela morte de Carla Nunes

“Foi uma profissional de excelência com uma carreira que atesta as suas capacidades, o seu conhecimento e o seu empenho em todas as funções que exerceu ao longo da vida e que culminaram na direção da Escola Nacional de Saúde Pública”, sublinhou Graça Freitas numa nota de pesar publicada no Facebook da Direção-Geral da Saúde.

Miguel A. Lopes / Lusa

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, manifestou hoje “profundo pesar” pela morte da ex-diretora da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP-NOVA), salientando que Carla Nunes foi uma “profissional de excelência” e uma “pessoa extraordinária”.

“Foi uma profissional de excelência com uma carreira que atesta as suas capacidades, o seu conhecimento e o seu empenho em todas as funções que exerceu ao longo da vida e que culminaram na direção da Escola Nacional de Saúde Pública”, sublinhou Graça Freitas numa nota de pesar publicada no Facebook da Direção-Geral da Saúde.

A diretora-geral salientou que desenvolveu “laços de colaboração” com a professora catedrática que foram “proveitosos para a sociedade e para a saúde pública” em Portugal.

“A professora Carla Nunes foi uma pessoa extraordinária, generosa, inteligente, sensível, disponível e amiga”, destacou Graça Freitas, que endereçou o seu pesar à família, assim como à ENSP da Universidade Nova de Lisboa.

O Conselho Diretivo do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) também apresentou sentidas condolências à família, salientando a “reconhecida carreira dedicada à área da Saúde Pública”, com um percurso profissional ligado ao ensino e à investigação nas áreas da estatística e epidemiologia.

Carla Nunes foi diretora da ENSP-NOVA entre 2019 e 2021 e integrou o grupo de especialistas que aconselhou o Governo durante os primeiros anos da pandemia, integrando o painel de peritos em várias reuniões do Infarmed sobre a evolução da covid-19.

Em março de 2022, foi uma das especialistas que recebeu a Medalha de Serviços Distintos do Ministério da Saúde, grau “ouro”, “em reconhecimento de todo o aconselhamento técnico, em especial nas áreas da epidemiologia, saúde pública e ciências sociais, prestado ao Ministério da Saúde no contexto da resposta à pandemia de covid-19”.

Docente da ENSP-NOVA desde 2005, Carla Nunes era professora catedrática de Estatística e coordenadora dos programas de doutoramento em Saúde Pública e em Global Public Health.

Membro do Centro de Investigação em Saúde Pública (CISP) e do Comprehensive Health Research Centre (CHRC), centrou a sua investigação nas áreas da estatística e epidemiologia em variados campos da Saúde Pública.

Era licenciada em Matemática/Ciências Estatísticas pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da NOVA e mestre com doutoramento pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa.

Recomendadas

Músicos afegãos refugiados apresentam-se hoje ao vivo no festival Iminente em Lisboa

 Na génese deste projeto está a cooperativa cultural Largo Residências, de Lisboa, distinguida no ano passado com o prémio da Acesso Cultura na categoria de Acessibilidade Social.

Portugal está na frente na diretiva sobre plásticos de uso único

“Portugal está no pelotão da frente porque já transpôs grande parte” da diretiva e propôs até medidas bastante ambiciosas, por exemplo, em termos de redução de copos de bebidas e embalagens de plástico para ´take away´ (redução de 80% até final de 2026 e de 90% até 2030, tendo por referência os valores de 2022), diz o comunicado da Zero.
Comentários