Grécia mantém previsão de crescimento de 2,9% para 2015

A Grécia manteve as suas previsões macroeconómicas otimistas para 2015, apontando para um crescimento de 2,9% após seis anos de recessão, indica o projeto de orçamento apresentado no Parlamento. Nos dois últimos trimestres, a Grécia registou um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,4% no segundo e 1,7% no terceiro, mantendo a previsão de […]

A Grécia manteve as suas previsões macroeconómicas otimistas para 2015, apontando para um crescimento de 2,9% após seis anos de recessão, indica o projeto de orçamento apresentado no Parlamento.

Nos dois últimos trimestres, a Grécia registou um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,4% no segundo e 1,7% no terceiro, mantendo a previsão de um crescimento de 0,6% para 2014, o que significa que o país terminará um longo período de recessão que começou em finais de 2008.

O ritmo de crescimento vai acelerar para 2,9% em 2015, de acordo com o projeto de orçamento apresentado pelo ministro-adjunto das Finanças, Christos Staïkouras.

Segundo o governo grego, a dívida este ano continuará a aumentar (de 175% do PIB para 177,7%) e só em 2015 baixará para 171,4% do PIB (a anterior previsão antecipava uma descida para 168%).

O orçamento ainda não recebeu a aprovação da ‘troika’ (Comissão Europeia, Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional) que começou em setembro uma avaliação final à economia grega, antes do pagamento das últimas tranches do empréstimo concedido pelas instâncias europeias.

A Grécia está sob assistência financeira desde 2010, com dois empréstimos internacionais no valor total de 240 mil milhões de euros concedidos em troca de duras medidas de austeridade acordadas com a troika.

OJE/Lusa

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

BdP aponta a crescimento de 6,7% e inflação de 7,8% este ano

As atualizações de outubro das projeções macro do banco central mostram revisões em alta em relação aos 6,3% de crescimento e 5,9% de inflação projetados em junho, com o consumo privado e o turismo a apoiarem a recuperação.

Vendas a retalho caem 0,3% na zona euro e 0,2% na UE em agosto

Comparativamente com o mês de agosto do ano passado, registaram-se quedas mais acentuadas, na ordem dos 2,0% e 1,3% respetivamente, de acordo com o Eurostat. Em Portugal, porém, a evolução foi positiva, quer face a julho do presente ano, quer face a agosto de 2021.