Grécia. Zona euro paga dois mil milhões

Soma destina-se a reembolsos da dívida grega, a pagamentos em atraso e ao financiamento de projetos que contam com fundos estruturais


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A zona euro pagou, como previsto, dois mil milhões de euros a Atenas, considerando que a Grécia cumpriu as condições para receber esta parcela do empréstimo concedido em julho, anunciou o Mecanismo Europeu de Estabilidade.

A soma destina-se a reembolsos da dívida grega, a pagamentos em atraso e ao financiamento de projetos que contam com fundos estruturais, segundo um comunicado.

Atenas tem de fazer três reembolsos em dezembro (nos dias 7, 16 e 21) ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no total de 1,244 mil milhões de euros.

“A decisão de pagar os dois mil milhões de euros reflete o compromisso do Governo grego no programa de assistência e a adoção de uma longa lista de reformas essenciais”, nomeadamente no setor financeiro, considerou Klaus Regling, que dirige o fundo.

O dinheiro faz parte empréstimo de 86 mil milhões de euros concedido à Grécia e que será pago ao longo de três anos.

OJE

Recomendadas

Desflorestação na Amazónia cai pela primeira vez no Governo de Bolsonaro

A Amazónia brasileira perdeu 11.568 km2 de cobertura vegetal entre agosto de 2021 e julho de 2022, menos 11,3% que a devastada no ano anterior. É a primeira redução do desmatamento desde que Jair Bolsonaro chegou ao poder.

Israel: Netanyahu garante que vai manter a controlo sobre a extrema-direita

Primeiro-ministro designado insiste que os radicais com que formará governo não vão tomar o poder nas suas mãos. “Israel não será governado pelo Talmud”. A incógnita é o que acontecerá com o seu julgamento por corrupção.

Parlamento alemão define como genocídio a “grande fome” na Ucrânia

O parlamento alemão aprovou uma resolução que define de genocídio o ‘Holodomor´’, a “grande fome” que atingiu a Ucrânia em 1932-1933 e que terá vitimado mais de três milhões de ucranianos.