Greenfest 2015: O mergulho coletivo na real cidadania ativa

“Este ano, o Greenfest tem como fio condutor o tema da cidadania ativa e a ideia é que cada um de nós tem o Poder de contribuir e de fazer a diferença, relembrando-nos a todos que, numa pequena ação, existe uma grande capacidade de mudar o mundo” – assim resumem os organizadores a essência da […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

“Este ano, o Greenfest tem como fio condutor o tema da cidadania ativa e a ideia é que cada um de nós tem o Poder de contribuir e de fazer a diferença, relembrando-nos a todos que, numa pequena ação, existe uma grande capacidade de mudar o mundo” – assim resumem os organizadores a essência da 8.ª edição deste que é, consensualmente considerado, o maior evento da sustentabilidade em Portugal e que conta com o OJE como media partner oficial.

Tendo em conta que durante quatro dias, de 8 a 11 de outubro, o Centro de Congressos do Estoril volta a ser palco da maior partilha do melhor que se faz em termos de sustentabilidade, nas vertentes social, económica e ambiental, pode seguramente esperar-se um vasto e diversificado programa.

Para esta edição, na qual são esperados cerca de 25 mil participantes, sempre com vários eventos a decorrer em simultâneo, foram criados vários “espaços” no recinto que contarão com as mais diversas abordagens ao tema da cidadania ativa mas também à questão central  – a sustentabilidade.

De entre um conjunto de pontos altos desta programação, destaca-se de imediato a realização da 1.ª Feira das ONG em Portugal. Trata-se de uma iniciativa fruto da parceria estabelecida entre o Greenfest e a Fundação Calouste Gulbenkian, envolvendo também os EEA Grants.

Esta feira permitirá conhecer, de perto, mais de 150 ONG nacionais e internacionais, com seis países a evidenciar-se, designadamente a Croácia, Polónia, Letónia, Islândia, Noruega e Roménia.

Ainda no que a novidades diz respeito, a organização sublinha o peso atribuído ao dossier da saúde. Neste programa, em particular, o objetivo passa por lembrar que cada um de nós “Tem o Poder” de contribuir para a sua saúde, através de workshops de cozinha saudável, de conferências com nutricionistas e médicos de renome (que pretendem ensinar-nos a “tomar conta de nós”) e ainda através da realização de rastreios de saúde para toda a família.

Nesta 8.ª edição, os alunos, dos mais diferentes escalões, voltam a ter um lugar especial. Aliás, os alunos universitários ganham mesmo um espaço só para o seu universo, o qual foi batizado de “UniverCity”. Sobre este programa importa salientar que inclui mais de 20 universidades e tem como objetivo possibilitar a partilha de alguns dos melhores projetos desenvolvidos pelos futuros impulsionadores económicos do nosso país.

Por outro lado, o Greenfest manteve o programa “Escolas”, através do qual mais de 2 mil alunos do ensino básico e secundário visitarão este evento, numa ótica de fomentar o diálogo com os chamados “decisores de amanhã”.

[Leia ou releia a entrevista do mentor do projeto Pedro Norton de Matos ao OJE]

Conferências e palestras… dar voz aos autores, à experiência

No que concerne a conferências os holofotes estão, como não poderia deixar de ser, virados para a conferência Inaugural em que a “Cidadania Ativa” é o grande tema. Contudo, assume especial relevância as conferências da saúde, onde será discutida a “Sustentabilidade no setor”, e a conferência dedicada ao “Turismo Sustentável” que, contando com a presença do presidente do Turismo de Portugal, debaterá “Qual o caminho para a sustentabilidade neste setor – Como equilibrar a atividade humana, o desenvolvimento e a proteção do ambiente?”

De entre o vasto conjunto de palestras agendadas para este festival da sustentabilidade, a organização evidencia, por exemplo, a proferida por Edgar Gouveia Junior, intitulada “Transformar o Mundo Brincando”. Edgar Gouveia Junior é professor universitário e arquiteto, e tem em mãos um trabalho que passa por reunir moradores das favelas e estudantes de arquitetura para que, juntos, possam projetar espaços públicos relevantes, úteis e apropriados. Este projeto visa melhorar as condições de vida nas favelas, por um lado, sensibilizando os moradores para o facto de eles poderem mudar, para melhor, os arredores e, por outro, influenciando o campo da arquitetura sobre o valor de propriedade da comunidade e influência nos projetos públicos.

Importa ainda destacar que o espaço que liga o Centro de Congressos e o espaço da FIARTIL – local de exposições que acolhe a 1.ª Feira das ONG, o “Greenwalk”, volta a ter muita animação, nomeadamente com experiências únicas como os “test drives” ao novo BMW I3, um veículo 100% elétrico. A redefinição da mobilidade urbana requer um pensamento além das fronteiras da ecologia e da agilidade. O resultado: o design visionário do BMW i3 define os automóveis do futuro.

“B Green Event”

Para a organização do Greenfest, no contexto atual, todos somos obrigados a fazer mais com menos recursos. Temos o “poder” de escolher formatos mais sustentáveis.

Assim, o Greenfest 2015 está verdadeiramente empenhado a fazer um evento mais sustentável e para isso foram adotadas as seguintes medidas: redução do consumo de papel e de todos os materiais promocionais; a informação/programação estão disponíveis no site e na página de Facebook da iniciativa existirá uma tela digital para exibir o programa diário do evento; e todos os itens promocionais serão reutilizados em futuros eventos.

Quanto à seleção dos locais, alojamento e mobilidade, foi escolhido um espaço certificado como “green venue”: o Centro de Congressos do Estoril; o local escolhido é acessível por transportes públicos; foram colocadas indicações dos transportes públicos locais no site; e foram selecionados hotéis localizados a uma curta distância do lugar do evento e acessíveis de transportes públicos.

Já na escolha do catering, os cuidados passam por uma utilização de copos e louças reutilizáveis; disponibilização de refeições vegetarianas; e ainda por uma oferta de pratos típicos da região confecionados com ingredientes locais e sazonais.

Quanto ao envolvimento do Greenfest com a comunidade, destaque para a criação de um programa de voluntariado junto da comunidade local e estudantes de variadíssimas universidades com o objetivo de apoiar a organização do evento.

Ainda neste contexto, importa sublinhar que durante o evento serão atribuídos os “B Green Awards” pelo Centro de Congressos do Estoril. Trata-se de um programa de recompensa que estimula o comportamento mais responsável dos expositores e patrocinadores do evento. É igualmente de acrescentar que no sentido de “Reduzir, Reutilizar e Reciclar”, todas as sobras de materiais (sinalética, brindes, flores, etc.) serão doadas a escolas ou instituições sociais locais.

Por último, o Greenfest convida todos os participantes e fornecedores a adotarem uma atitude mais sustentável durante o evento. E relembram que todos juntos temos o “Poder” de fazer a diferença. “Só assim, conseguiremos ter um verdadeiro Green event. Por favor, lembre-se de reduzir, reutilizar e reciclar”, solicita a organização.

Por Sónia Bexiga/OJE

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.