Greve dos guardas prisionais ameaça visitas de Natal a reclusos

Os sindicatos protestam contra os novos horários de trabalho, que dizem ser “impraticáveis” e explicam que é necessária “uma medida drástica para um problema grave”.

A dupla greve do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) está a colocar em risco as visitas a reclusos no período de Natal e Ano Novo. Os sindicatos protestam contra os novos horários de trabalho, que dizem ser “impraticáveis” e explicam que é necessária “uma medida drástica para um problema grave”, avança o ‘Jornal de Notícias’.

As negociações entre os sindicatos e a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) sobre os serviços mínimos falharam e a decisão cabe agora ao colégio arbitral composto por árbitro presidente, um representante dos guardas e outro representante da DGRSP. Caso não se chegue a um consenso, a greve deve avançar nos de 24 a 26 deste mês e de 31 de dezembro a 2 de janeiro.

Em causa estão os turnos de oito horas que vão ser aplicados a partir de janeiro e que prevêem que as equipas de guardas troquem às 8 horas, 16 horas e meia-noite. “Isto é impraticável”, afirma o presidente do SNCGP, Jorge Alves.

Além disso, Jorge Alves sustenta que o novo regulamento de horário, aplicado em outubro deste ano, estabelece que o guarda “não pode recusar-se” a permanecer no local de trabalho”, o que significa que, “no limite, um guarda pode ser obrigado a trabalhar de forma ininterrupta por vários dias”, sendo “um instrumento magnifico para reprimir”.

A intenção dos sindicatos é assegurar apenas alimentação e a assistência médica e religiosa, deixando de fora as visitas e chamadas telefónicas aos cerca de 14 mil presos das cadeias nacionais.

Recomendadas

Humanidade só se salva se defender o planeta Terra e a biodiversidade- Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou hoje que a única saída para salvar a Humanidade é “investir no planeta Terra” e deter a perda de biodiversidade.

Sapadores de Lisboa pedem às pessoas para não saírem de casa devido ao mau tempo

O comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa, Tiago Lopes, pediu hoje aos lisboetas para não saírem de casa devido à formação de lençóis de água na estrada por causa das fortes chuvadas que se fazem sentir na cidade.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários