Greve dos professores por distritos com adesão superior a 90% em Lisboa

A greve de professores por distritos, convocada por uma plataforma de oito organizações sindicais, começou hoje e prolonga-se por 18 dias.

Professores desfilam durante a Marcha Nacional pela Escola Pública, convocada pelo S.TO.P. – Sindicato Todos os Professores, como forma de protesto contra as politicas de educação do Governo, Lisboa, 14 janeiro 2023. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O secretário-geral da Fenprof disse hoje que a adesão à greve de professores no distrito de Lisboa é “superior a 90%”, com muitas escolas fechadas, e acusou as autoridades de enviarem inspetores aos estabelecimentos durante a manhã.

Em declarações aos jornalistas numa concentração que está a decorrer hoje no Rossio, em Lisboa, Mário Nogueira fez um balanço do primeiro dia da greve promovida pela Federação Nacional de Professores (Fenprof) e outras sete organizações sindicais, pedindo para que, nos próximos dias, a adesão continue a aumentar.

Centenas de professores de escolas do distrito de Lisboa estavam concentradas pelas 11:00 no Rossio, munidos de cartazes onde a palavra respeito era a mais lida.

A greve de professores por distritos, convocada por uma plataforma de oito organizações sindicais, começou hoje e prolonga-se por 18 dias.

Depois do primeiro dia em Lisboa, a paralisação prossegue em Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real, Viseu, terminando no Porto no dia 08 de fevereiro.

Esta greve realiza-se ao mesmo tempo em que decorrem outras duas paralisações: uma greve por tempo indeterminado, convocada pelo Sindicato de Todos os Professores (STOP), que se iniciou em 09 de dezembro e vai manter-se, pelo menos, até ao final do mês, e uma greve parcial ao primeiro tempo de aulas convocada pelo Sindicato Independente de Professores e Educação (SIPE), que deverá prolongar-se até fevereiro.

Os professores contestam algumas das propostas apresentadas pelo Ministério da Educação no âmbito da negociação da revisão do regime de mobilidade e recrutamento de pessoal docente, mas reivindicam também soluções para problemas mais antigos, relacionados com a carreira docente, condições de trabalho e salariais.

Relacionadas

Luta pela escola pública “é uma exigência de todos”, diz Paulo Raimundo

O secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, considerou hoje que a luta pela escola pública “é uma exigência de todos” e do próprio país.

Professores: greves distritais com concentrações arrancam esta segunda-feira em Lisboa (com áudio)

A revisão do regime dos concursos de colocação, a recuperação do tempo de serviço congelado, o fim das quotas na avaliação e melhores condições salariais estão entre as principais reivindicações dos professores.

Professores consideram manifestação “histórica” e prometem continuar a luta

Os professores que, este sábado, protestaram numa marcha em Lisboa consideraram a manifestação “histórica”, ao reunir “mais de 100 mil pessoas”, e prometeram continuar a lutar pelas reivindicações.

Costa promete maior estabilidade para professores e dedicação plena dos médicos

O secretário-geral do PS colocou hoje como prioridades a conclusão das negociações sobre o regime de dedicação plena dos médicos, e a vigência de um modelo que reforce a vinculação e combata a precariedade dos professores.

Sindicato diz que autocarros com professores foram revistados, autoridades negam operações direcionadas

O sindicato STOP diz que “mais de 100 autocarros com professores” que se dirigiam para a manifestação de hoje em Lisboa foram “revistados” pelas autoridades, mas GNR e PSP negam fiscalizações específicas visando a deslocação de docentes.

Mais de 50 mil professores esperados na manifestação/marcha deste sábado em Lisboa

A marcha realiza-se num momento de grande contestação dos professores, que estão em greve desde 09 de dezembro, numa paralisação convocada pelo STOP que se deverá prolongar, pelo menos, até ao final de janeiro e foi alargada aos trabalhadores não docentes.

Governo não descarta vir a pedir serviços mínimos para greve dos professores

O Ministério da Educação tem “fortes indícios” de violação da lei no que diz respeito ao recurso a fundos de greve e que “não descarta” vir a pedir que sejam decretados serviços mínimos para a greve dos professores.

Fenprof apela à convergência e diz que o importante é que sindicatos lutem pelo mesmo

O secretário-geral da Fenprof reforçou hoje o apelo à convergência na defesa dos direitos dos docentes e da escola pública, mas reconheceu que o mais importante é que as organizações lutem pelo mesmo.
Recomendadas
Foto: DR

Professores e educadores paralisam no distrito de Santarém (com áudio)

A greve nacional com incidência distrital, convocada por nove organizações sindicais, chega esta quarta-feira, 1 de fevereiro, a Santarém, para onde a meio da manhã confluem todos os docentes do distrito em greve.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Greve dos professores e educadores chega ao distrito de Portalegre (com áudio)

Depois de 97% de adesão em Leiria, segundo a FENPROF, a greve nacional com incidência distrital, convocada por nove organizações sindicais, chega esta terça-feira, 31 de janeiro, às escolas do distrito de Portalegre.
Comentários