Greve dos trabalhadores dos hospitais EPE com adesão de 90%

A paralisação pode afetar a realização ou marcação de consultas e exames, bem como outros serviços programados.

HO/Reuters

A adesão à greve dos trabalhadores dos hospitais EPE (Entidades Públicas Empresariais) era, cerca das 00:30, de 90%, segundo um primeiro balanço divulgado pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais.

A greve, que começou à meia noite e irá durar 24 horas, visa exigir progressões na carreira, contagem de tempo de serviço e admissão de mais profissionais.

“A adesão neste primeiro período da greve dos trabalhadores dos hospitais EPE cifra-se nos 90% a nível nacional, feito o balanço no início do turno da noite”, refere a federação sindical em comunicado.

De acordo com a mesma fonte, será feita nova avaliação da adesão à paralisação às 09:00 do hospital de S. João, no Porto, e um balanço final às 15:00, no Ministério da Saúde, em Lisboa.

A greve foi convocada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções e Sociais (FNSTFPS), da CGTP, e também pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap), da UGT, e abrange os hospitais EPE, que são a maioria das unidades hospitalares do Serviço Nacional de Saúde.

A paralisação pode afetar a realização ou marcação de consultas e exames, bem como outros serviços programados. Apesar de ser convocada para o universo de todos os trabalhadores dos EPE, a greve deve ser cumprida sobretudo por auxiliares e administrativos e não tanto por pessoal médico e de enfermagem.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  
Comentários