Greve na TAP. Como saber se há lugar a compensações para os passageiros afetados?

Os passageiros podem ter direito a voo de substituição, assim como alimentação, bebida e internet providenciadas pela própria companhia para as eventuais horas de espera adicionais, de acordo com a AirHelp.

Está agendada para os dias 8 e 9 de dezembro uma greve dos tripulantes de cabine da TAP. Em consequência, foram cancelados 360 voos destes dias, o que irá afetar 50 mil passageiros, de acordo com a presidente executiva da transportadora aérea, Christine Ourmières-Widener. Neste contexto, a AirHelp emitiu um comunicado onde procura ajudar os afetados a saberem quais são os seus direitos em situações como esta.

De acordo com a organização internacional de defesa dos direitos dos passageiros aéreos, estes têm direito a voo de substituição, em caso de voo cancelado ou de uma ligação perdida devido a um atraso, assim como alimentação, bebida e internet providenciadas pela própria companhia para as eventuais horas de espera adicionais. A isto, junta-se o direito a alojamento num hotel em caso de um atraso no voo obrigar a uma pernoita.

Para que estes direitos se apliquem, é fundamental que os passageiros tenham consigo todos os documentos relativos à viagem, bem como todas as comunicações e documentos entregues pela transportadora.

De acordo com o EC261 (regulação sobre compensação por voos cancelados), que se aplica aos voos de partida ou chegada na União Europeia (UE),  os cancelamentos e atrasos podem dar direito a compensações de até 600 euros por passageiro, em caso de atrasos superiores a três horas, cancelamentos sem aviso prévio a menos de 14 dias da data de partida e recusa de embarque de passageiros devido a overbooking causado pela companhia.

Em caso de greves, mesmo que sejam anunciadas pelas companhias aéreas, os viajantes têm direito a apresentar reclamações. A organização sugere a consulta do seu Guia de Direitos dos Passageiros Aéreos, que enumera as ações que podem ser tomadas por quem comprou bilhetes, para que recebam compensações, nos casos em que há lugar a tal.

Relacionadas

TAP: Companhia cancela 360 voos em 8 e 9 de dezembro com impacto de 8 milhões na receita

A TAP vai cancelar 360 voos em 8 e 9 de dezembro, dias da greve de tripulantes de cabine, afetando cerca de 50.000 passageiros e uma perda de oito milhões de euros em receitas, anunciou hoje a presidente executiva.

TAP recomenda que passageiros remarquem voos de dias 8 e 9 por causa da greve

A alteração das datas dos voos previstos para este período poderá ser feita sem qualquer penalização e sem alteração de tarifa, para datas entre 28 de novembro e 19 de dezembro, e sem penalização, embora com alteração de tarifa, para qualquer outro período”, explica a empresa.

Greve na TAP: clientes vão poder remarcar voos sem custos

A TAP informou, este sábado que, face ao pré-aviso de greve do pessoal de cabine, dias 8 e 9 de dezembro, os clientes poderão remarcar as datas dos seus voos, entre os dias 28 de novembro e 19 de dezembro, sem custos.
Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários