Greve nos aeroportos entre o Natal e o Ano Novo

Trabalhadores da segurança paralisam a 27, 28 e 29 de Dezembro, por falta de acordo sobre um novo contrato colectivo de trabalho.

Cristina Bernardo

A TAP vai esperar a indicação dos aeroportos para aconselhar os clientes quanto aos eventuais impactos que a greve dos trabalhadores das empresas Prosegur e Securitas vão fazer no final do ano.

“Confirmando-se a realização da greve, as companhias aéreas aguardarão pelo que forem as indicações dos aeroportos quanto aos constrangimentos que possam surgir relativamente à operação e aconselharão os seus clientes em conformidade”, disse fonte oficial da TAP à Lusa, à margem do 42.º Congresso Nacional das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que decorre em Aveiro.

Os trabalhadores dos aeroportos das empresas Prosegur e Securitas vão fazer greve em 27, 28 e 29 de dezembro por ainda não haver acordo sobre o novo Contrato Coletivo de Trabalho, disse, na quarta-feira, o coordenador do SITAVA à Lusa.

De acordo com Fernando Henriques, a greve já foi mesmo ratificada em plenário pelos trabalhadores associados do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA).

Os trabalhadores dos aeroportos das empresas de segurança Prosegur e Securitas querem que o novo Contrato Coletivo de Trabalho garanta um aumento salarial para os próximos dois anos, além de melhoria das condições de trabalho, tempos de trabalho, segurança e saúde.

Os trabalhadores das empresas Prosegur e Securitas são quem assegura o raio-x da bagagem de mão e o controlo dos passageiros e também dos trabalhadores dos aeroportos, pelo que uma greve poderá ter impacto no tráfego aeroportuário, sobretudo durante esta época festiva.

Recomendadas

“Sem CV e baseada no talento”. Accor lança campanha de recrutamento em Lisboa

A campanha ‘Carreiras para Talentos’ decorre no dia 11 de outubro, no Sofitel Lisbon Liberdade, das 09h00 às 18h00. Estão disponíveis vagas para posições de hotelaria e restauração em sete hotéis da área metropolitana de Lisboa – ibis, Mercure, Novotel e Sofitel.

TAP: SINTAC defende “revisão profunda” da política de atribuição de carros de serviço

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) considerou hoje que suspender a aquisição de 50 carros para altos cargos da TAP foi a “atitude certa” e defendeu uma “revisão profunda” da política de atribuição de viaturas de serviço.

IGCP realiza na quarta-feira leilões de dívida a três e nove anos de até 1.000 milhões de euros

O IGCP anunciou hoje que vai realizar em 12 de outubro dois leilões de Obrigações do Tesouro (OT) a três e nove anos com montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.
Comentários