Grupo CGD vende 51% da corretora Rico no Brasil

A venda foi feita aos parceiros brasileiros. A XP confirmou no Brasil aquisição de 100% da Corretora Rico. O valor de venda “representa à data de hoje um valor global de 203 milhões de reais”, equivalente a 55 milhões de euros, valor a ser atualizado até à conclusão da transação.

Caixa Geral de Depósitos

A Caixa Geral de Depósitos acaba de anunciar que, na sequência de um processo negocial iniciado em finais de 2015, foi agora formalizado um “Contrato de Compra e Venda e outras Avenças” com a XP Investimentos Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários e os Acionistas da Rico Corretora de Títulos e Valores Mobiliários para alienação desta entidade, na qual a CGD detém, indiretamente, através do Caixa – Banco de Investimento e do Banco Caixa Geral – Brasil interesses económicos representativos de 51% do seu resultado.

Isto é o Caixa BI e o Banco Caixa Geral – Brasil acordaram vender os 51% que tinham na corretora aos accionistas que tinham os outros 49%.

A XP Investimentos anunciou no Brasil a aquisição de 100% do capital da Rico, transação que ainda terá de ser aprovada pelo Banco Central e pelo Conselho Administrativo de Defesa Económica (Cade).

O valor de venda dos interesses económicos da CGD “representa à data de hoje um valor global de  203 milhões de reais, equivalente a 55 milhões de euros, valor a ser atualizado até à conclusão da transação com prémio face à taxa de juros brasileira. “A concretização da transação de venda da Rico encontra-se dependente das necessárias aprovações, nomeadamente junto do Banco Central do Brasil e do Conselho Administrativo de Defesa Económica brasileiro”, diz a CGD em comunicado ao mercado.

Recomendadas

PremiumMontepio suspende projeto para retirar 700 milhões de malparado

Chama-se “Projeto Douro” e pretendia retirar do balanço do banco entre 600 a 700 milhões de imóveis e crédito malparado a grandes empresas. Mas o processo está parado e sem data de retoma.

Laginha de Sousa defende a tributação do carbono para alinhar os incentivos privados com os objetivos sociais

Numa intervenção nas ESG Talks, o ainda administrador do Banco de Portugal e futuro presidente da CMVM, Luís Laginha de Sousa, citou um estudo recente da consultora McKinsey, que constata que mais de 90% das empresas do S&P 500 publicam atualmente algum tipo de relatório sobre sustentabilidade ESG. 

Fundação Santander lança mil bolsas para curso de negócios digitais

A Fundação Santander lançou mil bolsas que dão acesso ao curso Digital Business Development do Técnico+ Formação Avançada, unidade de pós-graduação do Instituto Superior Técnico.
Comentários