Grupo Estoril Sol passa de lucro a prejuízo de um milhão de euros até setembro

O grupo Estoril Sol, que explora os casinos do Estoril, de Lisboa e da Póvoa de Varzim, registou um prejuízo líquido consolidado de um milhão de euros nos primeiros nove meses do ano, revelou hoje a Estoril Sol SGPS. “Esta performance resulta essencialmente da queda das receitas de jogo ocorridas no período e perversamente da […]

O grupo Estoril Sol, que explora os casinos do Estoril, de Lisboa e da Póvoa de Varzim, registou um prejuízo líquido consolidado de um milhão de euros nos primeiros nove meses do ano, revelou hoje a Estoril Sol SGPS.

“Esta performance resulta essencialmente da queda das receitas de jogo ocorridas no período e perversamente da subida da carga fiscal que incide sobre estas mesmas receitas”, refere a Estoril Sol SGPS, no relatório e contas do terceiro trimestre enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Entre janeiro e setembro de 2013, o grupo tinha obtido um lucro líquido consolidado de 1,3 milhões de euros.

Enquanto as receitas de jogo entre janeiro e setembro de 2014 desceram 4,6%, face ao mesmo período do ano anterior, passando de 131,4 milhões de euros para 125,3 milhões, a taxa efetiva de imposto aplicada passou de 53% para 54% das receitas geradas, detalha o grupo.

“Esta situação incompreensível que atinge praticamente todas as concessões de jogo existentes em Portugal deriva do clausulado dos contratos de concessão celebrados com o Estado, cuja revisão tem vindo a ser pedida mas sem sucesso até à data”, salienta a Estoril Sol SGPS.

Quanto às restantes receitas operacionais do grupo, nas áreas de restauração e animação, apresentaram um crescimento de 25%, para cinco milhões de euros até ao final de setembro.

Os custos operacionais mantiveram-se por sua vez “estabilizados”, devido às medidas de reorganização recentes no âmbito do grupo, tendo crescido 0,8% para 58,6 milhões.

OJE/Lusa

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Bruxelas favorável a limite de preço para gás russo

“A Europa enfrenta a chantagem energética da Rússia, e a procura global de gás é mais elevada do que a oferta. Precisamos de trabalhar ao longo de toda a cadeia para enfrentar o desafio. Primeiro, temos de agir no ponto em que o gás entra no nosso mercado. Estamos a negociar com os nossos fornecedores fiáveis de gás de gasoduto. Se isto não trouxer resultados, então é possível um preço máximo”, declarou a comissária.

Governo reconhece necessidade de “valorizar salários” e espera acordo na Concertação Social

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares discursava no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, no âmbito da conferência “Em nome do futuro: os desafios da juventude”, organizada pela Santa Casa da Misericórdia e pela Rádio da Renascença.