Grupo Fosun anuncia venda de ações de mineradora de ouro chinesa por 565 milhões de euros

O grupo, com sede em Xangai, a “capital” económica da China, reduz assim a participação na Zhaojin de 22,85% para 2,85%.

O grupo Fosun, que detém várias empresas em Portugal, anunciou hoje a venda de grande parte da sua posição na mineradora Zhaojin Mining Industry Co, pelo equivalente a 565 milhões de euros, visando reforçar a liquidez.

O conglomerado chinês, que soma uma dívida equivalente a cerca de 38 mil milhões de euros, desfez-se já de milhares de milhões de euros em ativos este ano. A empresa tem a pagar mais de oito mil milhões de euros em títulos de dívida até ao final de 2023, segundo dados compilados pela agência Bloomberg.

Através de uma das suas unidades, a Fosun anunciou, em comunicado, a venda de 654,1 milhões de ações da mineradora de ouro Zhaojin Mining, por 6,72 dólares de Hong Kong (0,86 euros) cada. Um valor 1,8% inferior à cotação da empresa no encerramento da Bolsa de Valores de Hong Kong, na sexta-feira.

O grupo, com sede em Xangai, a “capital” económica da China, reduz assim a participação na Zhaojin de 22,85% para 2,85%.

A Fosun e as suas unidades já cortaram participações em empresas como a seguradora New China Life Insurance e o retalhista Shanghai Yuyuan Tourist Mart Group. Entre os ativos vendidos este ano pelo grupo constam ainda uma posição no valor de 500 milhões de euros na Tsingtao Brewery, a principal marca de cervejas da China, 5% do grupo tecnológico chinês Taihe Technology, no valor de 43 milhões de euros, ou 6% do capital da empresa Zhongshan, por 100 milhões de euros, de acordo com a cotação atual no mercado.

O conglomerado anunciou ainda, em outubro passado, que planeia vender a sua participação maioritária na fabricante de aço Nanjing Nangang Iron & Steel United, que está cotada na Bolsa de Xangai, por 16 mil milhões de yuans (2,2 mil milhões de euros).

A Fosun realizou, nos últimos dez anos, uma série de aquisições além-fronteiras, adquirindo em Portugal a seguradora Fidelidade, uma participação de quase 30% no banco Millennium BCP e mais de 5% da REN – Redes Energéticas Nacionais. Entre os ativos mais conhecidos constam a cadeia hoteleira Club Med e o clube inglês de futebol Wolverhampton Wanderers.

Um relatório do Citigroup, difundido no mês passado, indicou que a empresa planeia vender entre 50 mil milhões e 80 mil milhões de yuans (7 mil milhões e 11 mil milhões de euros) em ativos não essenciais, ao longo dos próximos 12 meses. O relatório destacou que a empresa considera a Fidelidade como essencial, não estando prevista a sua venda.

Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.
Comentários