Grupo ID Logistics cresceu 17% e superou 1.900 milhões de euros de faturação em 2021

No que respeita a perspetivas futuras, os responsáveis da ID Logistics consideram que a empresa “está bem posicionada para continuar com a sua expansão em 2022, mantendo-se atenta aos desafios da crise de Covid-19”.

O Grupo ID Logistics anunciou hoje, dia 31 de janeiro, que registou  um crescimento de 17% no ano passado, tendo alcançado uma faturação consolidada que ultrapassaou 1.900 milhões de euros.

“O crescimento orgânico e as aquisições impulsionaram o negócio internacional do grupo que cresceu 24% em 2021”, releva um comunicado da ID Logistics, acrescentando que, “em 2021, a empresa logística obteve receitas de 1.911 milhões de euros, com um aumento de 17%, que representa um crescimento consecutivo de 20 anos”.

O mesmo comunicado destaque que, “no quarto trimestre de 2021, a empresa logística conquistou receitas de 549,6 milhões de euros, o que representa um aumento de 21%”.

“Além disso, a ID Logistics cresceu em França, com 208,1 milhões de euros, um aumento de 7,8% no último trimestre do ano” e “acelerou o ritmo de crescimento nos mercados internacionais: 341,5 milhões de euros, um aumento de 30,8% (26,9% numa base comparável) no último trimestre do ano”.

Eric Hémar, presidente e CEO da ID Logistics, refere: “Estamos muito satisfeitos com os sólidos resultados comerciais alcançados, que coincidem com a celebração do 20.º aniversário da empresa. A nossa liderança em ‘e-Commerce’ e a nossa capacidade para antecipar os picos de atividade no último trimestre permitiu-nos alcançar mais um ano de crescimento sustentado. Olhamos para 2022 com confiança e pretendemos desenvolver o nosso modelo de crescimento sustentado e integrar com sucesso as duas aquisições realizadas no final de 2021”.

“Em 2021, a ID Logistics iniciou 22 novas operações, um nível similar ao de 2020. A cota da atividade de ‘e-Commerce’ continua a crescer atingindo 28% em 2021, incluindo os 33% registados no quarto trimestre do ano”, revela o referido comunicado, acrescentando que, “a nível internacional, o crescimento continuou no quarto trimestre de 2021 a um ritmo sustentado, com um aumento das receitas de 30,8% até aos 341,5 milhões de euros”.

“Ajustado pela consolidação da GVT no Benelux em dezembro de 2021 e um efeito monetário favorável, as atividades internacionais cresceram 26,9%”, salientam os responsáveis do Grupo ID Logistics.

O mesmo comunicado refere que o grupo ganhou ou colocou em marcha os seguintes novos contratos durante o quarto trimestre de 2021: a Bosch reforçou a sua colaboração com o grupo ID Logistics ao confiar-lhe a gestão do seu ‘stock’ de produtos elétricos em França, pelo que o armazém de 46 mil metros quadrados situado no sul de Paris albergará 46 mil referências para os pedidos das lojas e do ‘e-Commerce’; em Espanha, a ID Logistics alargou a sua colaboração com a Campofrío, empresa espanhola líder na indústria alimentar, com um novo centro logístico que estará em funcionamento em 2023, situado em Burgos, e que estará equipado com as últimas tecnologias do sector e será um centro de referência em termos de sustentabilidade; no Brasil, a Heineken selecionou a ID Logistics para gerir um armazém no estado de Minas Gerais a partir de abril de 2022.

No que respeita a perspetivas futuras, os responsáveis da ID Logistics consideram que a empresa “está bem posicionada para continuar com a sua expansão em 2022, mantendo-se atenta aos desafios da crise de Covid-19”.

“Os primeiros meses de 2022 terão também foco na integração da GVT no Benelux e da Colisweb em França, empresas adquiridas no final de 2021. Por último, a ID Logistics continua atenta às oportunidades de crescimento externo, principalmente nos Estados Unidos”, assinala o referido comunicado.

A ID Logistics é um grupo internacional de logística, com mais de 340 instalações em 17 países, representando seis milhões de metros quadrados em armazéns distribuídos pela Europa, América, Ásia e África, e um total de 21.500 funcionários.

Recomendadas

Os desafios e constrangimentos de Christine Ourmières-Widener no primeiro ano

Christine Ourmières-Widener cumpre este sábado um ano como presidente executiva da TAP, um período marcado pelos desafios e constrangimentos da execução do plano de reestruturação, um compromisso que assumiu no primeiro dia.

PremiumAuditoria ao Novobanco há meses à espera do Parlamento

A terceira auditoria da Deloitte ao Novobanco foi entregue aos deputados em abril, mantendo-se como confidencial de forma provisória. Desde então, o tema não voltou a ser discutido.

Operação da TAP em níveis de 2019 mas conflitos laborais ameaçam verão

As dificuldades nas negociações entre a TAP e os sindicatos, numa altura em que o tráfego está próximo de níveis de 2019, ameaçam perturbar a operação no verão, com as estruturas a darem indicações de que poderão convocar greves.
Comentários