Grupo Ramada com forte crescimento dos lucros para os 10 milhões de euros

As receitas totais ascenderam, no período em referência a 112,2 milhões de euros, apresentando um crescimento de 69%. O grupo tem em curso a instalação de uma central fotovoltaica de autoconsumo (Ramada Solar).

O resultado líquido consolidado do Grupo Ramada no primeiro semestre de 2022 registou um valor de 10 milhões de euros, o que representa um crescimento de 62,3% face ao resultado líquido do período homólogo de 2021. As receitas totais ascenderam, no período em referência a 112,2 milhões de euros, apresentando um crescimento de 69% face às receitas totais registadas em igual período de 2021, segundo comunicado enviado à CMVM.

O grupo regista ainda custos totais que ascenderam a 96,5 milhões de euros, um crescimento de 70,6% face ao mesmo período do ano anterior. Ao mesmo tempo, o EBITDA atingiu o montante de 15,7 milhões de euros, superior em 59,8% ao registado no primeiro semestre de 2021. A margem EBITDA ascendeu a 14%, um decréscimo de 0,8 pontos percentuais face ao período homólogo.

O EBIT, no montante de 13,4 milhões de euros, registou um crescimento de 63,7% face aos 8,2 milhões de igual período de 2021. Já os resultados financeiros foram de 0,5 milhões, um decréscimo de 1,2%.

O grupo informa ainda que “no primeiro semestre de 2022 as receitas totais do segmento Indústria ascenderam a 108,1 milhões de euros, registando um crescimento de 72,4% face às receitas totais do período homólogo de 2021. O EBITDA do segmento Indústria ascendeu a 12,7 milhões, mais 84,6% face aos 6,9 milhões atingidos no primeiro semestre de 2021. O resultado líquido do segmento no primeiro semestre de 2022, 7,9 milhões de euros, apresentou um crescimento de 92,4% face ao período homólogo de 2021.

O comunicado indica que “apesar da incerteza que se vivia pós-pandemia e do cenário de conflito armado entre a Rússia e a Ucrânia, no segundo trimestre de 2022 o Grupo Ramada deu continuidade à tendência positiva verificada no primeiro trimestre de 2022, atingindo um crescimento no valor de vendas expressivo”.

“Com a incerteza causada pela guerra na Ucrânia, o primeiro semestre ficou marcado pelas pressões inflacionistas, com particular relevância nos preços da energia. É expectável que tal tendência de subida se mantenha nos próximos meses, o que levou o Grupo a aumentar os preços, principalmente no negócio de Tratamentos Térmicos que é um consumidor intensivo de energia”.

O grupo informa ainda que, “de forma a mitigar parcialmente o impacto da subida do preço da energia e simultaneamente contribuir para um melhor desempenho ambiental, está em curso a instalação de uma Central Fotovoltaica de Autoconsumo (Ramada Solar), estando previsto o arranque da produção do primeiro Megawatt para o segundo semestre de 2022”.

Recomendadas

Grupo da transportadora aérea Sevenair aumenta receitas devido aos cursos de piloto

A Sevenair Academy viu o EBITDA fixar-se ligeiramente acima dos 2 milhões de euros no ano passado.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.

SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.
Comentários