Grupo Rangel cresceu 50% em Cabo Verde

Grupo português pretende o mesmo ritmo de crescimento neste mercado em 2017.

A Rangel Logistics Solutions apresenta um crescimento de 50% nas suas operações em Cabo Verde, um ano e meio depois de ter entrado neste mercado, a Rangel Logistics Solutions apresenta um crescimento de 50% nas operações, embora o grupo não divulge os valores.

“No nosso processo de internacionalização, Cabo Verde é, sem dúvida, um exemplo em relação ao crescimento e a integração no mercado. Estamos imensamente satisfeitos por perceber que somos já uma empresa de referência no setor, com uma quota de mercado muito interessante”, referiu Nuno Rangel, CEO da empresa.

Em comunicado oficial hoje distribuído, a Rangel assume que pretende continuar ao mesmo ritmo de crescimento em 2017, além de querer consolidar a sua posição e estreitar relações com o mercado de logística integrada.

A Rangel esteve presente na XX Edição da FIC – Feira Internacional de Cabo Verde, a maior montra para a exposição de produtos e potencialidades do país, que terminou ontem.

Durante a sua passagem pela FIC,  Nuno Rangel teve oportunidade de conversar com o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e com o Ministro da Economia, José Gonçalves, e ambos realçaram a importância das soluções que a Rangel apresenta ao mercado.

De âmbito multissetorial e grande importância para o mercado cabo verdiano, a XX edição da FIC teve como lema “20 Anos Conectando as Economias do Mundo em Cabo Verde” e registou a participação de 230 ‘stands’ e 118 expositores, sendo 70% de produtores nacionais.

Recorde-se que a Rangel entrou em Cabo Verde há um ano e meio com a abertura de duas delegações em Mindelo, na Ilha de São Vicente, e na cidade da Praia, na Ilha de Santiago.

Neste momento, a Rangel fornece os serviços de transporte aéreo e marítimo de ligação entre as ilhas e aduaneiro, enquanto que o transporte expresso é assegurado pela parceria da Rangel com a multinacional americana FedEx.

Recomendadas

Excendente orçamental melhora para 2,3 mil milhões de euros em agosto

Este valor representa uma melhoria de 9.211 milhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo o comunicado do Ministério das Finanças.

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.
Comentários