Grupo Terras & Terroir compra Herdade da Rocha no Crato

Depois do Douro, do Dão e da Bairrada, os donos da Quinta da Pacheca estendem a sua influência à região vitivinícola do Alentejo.

O Grupo Terras & Terroir, proprietário, entre outras, da Quinta da Pacheca, no Douro, anunciou a aquisição da Herdade da Rocha, no Crato, alargando desta forma a sua influência à região vitivinícola do Alentejo.

“Com cerca de 60 hectares, a Herdade da Rocha, para além da vinha, possui uma charmosa unidade de enoturismo, de que fazem também parte uma tapada cinegética e um campo para treinar golfe”, revela um comunicado do grupo, sem, contudo, adiantar o valor do negócio.

O mesmo documento sublinha que, com a aquisição da Herdade da Rocha, “o Grupo Terras & Terroir – Paixão pelas nossas raízes dá sequência ao seu processo de expansão”.

“O grupo, fundado em 2020, integra já a Quinta da Pacheca e a Quinta do Barrilário, no Douro; a Caminhos Cruzados, no Dão; e a Quinta do Ortigão, na Bairrada; e estende agora a sua influência à Região Demarcada do Alentejo, com a Herdade da Rocha, empresa conhecida pela mineralidade e frescura dos seus vinhos e por uma oferta de enoturismo de categoria superior, que a breve trecho conhecerá algumas melhorias”, adianta o referido comunicado.

Os responsáveis do Grupo Terras & Terroir assinalam ainda que “esta operação insere-se na política estabelecida pelo grupo, detido pelos empresários Maria do Céu Gonçalves, Álvaro Lopes e Paulo Pereira, de valorizar o potencial de todas as regiões portuguesas que se dedicam à produção de vinho, com respeito pelo ‘terroir’ e pelo caráter identitário de cada região”.

“A Herdade da Rocha enquadra-se, perfeitamente, dentro do espírito e dos valores que regem o nosso modelo de negócio, inclusive pela presença do enoturismo, uma valência em que acreditamos muito e cujos resultados estão à vista na Quinta da Pacheca”, considera a administração do Grupo Terras & Terroir, que nas restantes empresas do grupo tem mantido a maior parte dos elementos das anteriores equipas, “aportando o ‘know-how’ de gestão que tem levado a excelentes resultados”.

Os responsáveis do grupo asseguram que “o mesmo acontecerá na Herdade da Rocha, com parte da equipa a manter-se em funções, nomeadamente o apaixonado fundador do projeto, Mário Rocha”.

O projeto Herdade da Rocha nasceu da paixão de Mário Rocha, também fundador da conhecida empresa de mobiliário ‘Antarte’, de Paredes. Com cerca de 60 hectares, junto à serra de São Mamede, a Herdade da Rocha dedica nove hectares de vinha para produção própria, tendo colocado no mercado, no ano transato, cerca de 75 mil garrafas de vinho.

A empresa lançou a sua primeira colheita em 2012, engarrafando uma série limitada de 1.350 garrafas e, em 2013, avançou para a produção dos vinhos ‘Couto Saramago Red Wine’ e ‘Couto Saramago Seleção’. O ano de 2016 ficou assinalado pelo lançamento dos vinhos branco e rosé. A marca Herdade da Rocha chegou mais tarde.

Em 2014, foi construída uma adega imponente, de dois mil metros quadrados, da autoria do próprio Mário Rocha. Ali podemos encontrar três lagares graníticos na zona de vinificação, que é decorada com grafites pelo artista Fábio Carneiro. A sala das barricas está revestida com ripas de madeira e as portas de madeira maciça, esculpidas pelo artista Paulo Neves, construídas a partir da árvore Cryptomeria. Também ao longo do espaço podem admirar-se várias obras de arte.

Atualmente, a Herdade da Rocha coloca no mercado vinhos brancos, tintos, rosés e monovarietais das castas Alvarinho, Arinto, Alicante Bouschet e Syrah. Tem, ainda, a marca ‘Dueto’, que resulta da conjugação do melhor do Douro e Alentejo num só vinho.

A Herdade da Rocha também possui uma unidade de enoturismo, cuja decoração é marcada, em cada recanto, pela presença de elementos naturais.

São oito as unidades de alojamento, divididas entre o edifício principal e ‘suites’ externas individuais, além de outras infraestruturas, como piscina, estacionamento privativo e terraço comum.

A gastronomia regional alentejana, com uma interpretação mais cosmopolita, também está disponível no restaurante do empreendimento. Da oferta da Herdade da Rocha consta, ainda, a possibilidade de fazer piqueniques, calcorrear os seus passadiços, treinar golfe ou visitar a tapada cinegética, onde se podem encontrar ovelhas, cabras, veados ou coelhos bravos.

Sobre o grupo de investidores constituído por Paulo Pereira e pelo casal Maria do Céu Gonçalves e Álvaro Lopes, é referido que estes “empresários portugueses têm projetos comuns em Portugal e em França, desde 1999, e começaram por investir no negócio da viticultura, em pleno Douro Vinhateiro, na Quinta da Pacheca”.

“Rapidamente, o modelo de negócio que imprimem nos seus projetos resultou em reconhecimento e sucesso comercial. Com a aquisição da vinícola Caminhos Cruzados, em dezembro de 2020, os empresários fundam o Grupo Terras & Terroir, que passa a integrar propriedades vinícolas e de enoturismo, a que se junta a Quinta do Barrilário, em Armamar. O grupo estende-se à Bairrada, com a Quinta do Ortigão, a Mesão Frio, com as Vila Marim Country Houses e, mais recentemente, ao Alentejo, com a Herdade da Rocha”, destaca o referido comunicado.

Recomendadas

Energia? Agricultura conta com 90 milhões de euros em apoios desde 2021

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, assegurou este domingo que o sector agrícola dispõe, em matéria de energia, de um “balão de oxigénio” de 90 milhões de euros, distribuídos em dois anos.

Ministra da Agricultura: direções regionais não vão ser extintas

Maria do Céu Antunes esclareceu que as direções regionais de agricultura não vão ser extintas no âmbito da transferência de competências para as comissões de coordenação e desenvolvimento regional.

Seca: Barragem de Mirandela está a perder a pouca água que tem para regadio

O presidente da Associação de Beneficiários do Perímetro de Rega de Vale Madeiro, Emanuel Batista, disse hoje que a barragem de regadio do distrito de Bragança em situação mais crítica está a perder a pouca água que tem.
Comentários