Guiné-Bissau/Eleições: Umaro Sissoco Embaló acredita que vai vencer, mas se perder aceita resultados

O candidato à segunda volta das presidenciais da Guiné-Bissau Umaro Sissoco Embaló disse este domingo acreditar que vai vencer as eleições, mas afirmou que, se for derrotado, irá aceitar os resultados.

afirmou que, se for derrotado, irá aceitar os resultados.

“Como sabem eu sou vencedor. Eu estou convencido, as eleições para mim são para ajudar a Guiné-Bissau e é para ajudar a Guiné-Bissau”, afirmou aos jornalistas o candidato, salientando que estava bastante calmo.

Umaro Sissoco Embaló falava aos jornalistas num bairro em Bissau, depois de a sua mulher exercer o seu direito de voto. O candidato votou durante o período da manhã em Gabu, cerca de 200 quilómetros a leste da capital, Bissau.

“Como não tenho compromissos, não tenho nada a pagar. Se Deus quiser que eu ganhe, eu ganho, se eu perder também vou aceitar os resultados, mas é uma coisa que é difícil, tendo em conta o apoio que tenho dos grandes candidatos e partidos”, disse.

Mais de 760.000 guineenses são hoje chamados às urnas para escolherem o próximo Presidente da Guiné-Bissau entre Domingos Simões Pereira, candidato do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Umaro Sissoco Embaló, candidato do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15).

As urnas encerram às 17:00 locais (mesma hora em Lisboa).

Os primeiros resultados deverão ser divulgados pela Comissão Nacional de Eleições na quarta-feira.

Relacionadas

Eleições na Guiné-Bissau: Sociedade civil fala em fraca afluência às urnas

O coordenador da célula, que agrupa várias organizações da sociedade civil guineense, receia que o número da abstenção possa superar o da primeira volta, que foi na ordem de 25%.

Eleições na Guiné-Bissau: Votação decorre de forma calma e mobilização dos eleitores é forte

Questionado sobre se havia dificuldades a assinalar, o chefe da missão de observação eleitoral da CEDEAO disse que não, o que é um “motivo de orgulho” para a organização e para a Guiné-Bissau.

Eleições na Guiné-Bissau: CPLP otimista em relação a todo o processo

Mais de 760.000 guineenses foram hoje chamados às urnas para escolher o próximo Presidente da Guiné-Bissau entre Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrático (Madem-G15).
Recomendadas

Guterres manifestou a embaixador russo oposição a anexação de territórios

Antes, António Guterres alertou a Rússia que a anexação de territórios ucranianos “não terá valor jurídico e merece ser condenada”, frisando que “não pode ser conciliada com o quadro jurídico internacional”.

Brasil. Equipa assegurará “perfeita realização” das eleições em Portugal

Paulino Franco de Carvalho Neto, secretário de assuntos multilaterais políticos do ministério, designado como Itamaraty, disse em conferência de imprensa no consulado-geral do Brasil em Lisboa que o ministro Carlos França enviou uma equipa para acompanhar os serviços dos consulados em Portugal durante o ato eleitoral.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.
Comentários