Guterres esperançoso de que crise alimentar esteja a aliviar

O secretário geral da ONU afirma estar “esperançoso” mas admite que “ainda há um caminho a percorrer”.

António Guterres

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse esta quarta-feira que espera que a crise alimentar provocada pela guerra na Ucrânia alivie.

“Acho que há progresso, mas ainda não chegamos lá. São coisas complexas e o fato de tudo estar interligado torna a negociação particularmente complexa”, disse Guterres, segundo a “Reuters”.

Guterres afirma estar “esperançoso” mas admite que “ainda há um caminho a percorrer”. “Estamos totalmente comprometidos em fazer as coisas acontecerem”, garantiu.

Com a Rússia a controlar ou bloquear efetivamente todos os portos ucranianos do Mar Negro, os embarques de grãos da Ucrânia pararam desde a invasão russa em 24 de fevereiro. Enquanto isso acontece, Moscovo culpa as sanções ocidentais por interromper as exportações de grãos e fertilizantes.

Guterres, que visitou Moscovo e Kiev no início deste ano, está a tentar intermediar o pacote de retoma das exportações de alimentos ucranianos e das exportações russas de alimentos e fertilizantes de forma a aliviar a crise alimentar.

Na semana passada o presidente Vladimir Putin que a Rússia estava disposta a facilitar as exportações de trigo ucraniano através do Mar Negro, bem como os embarques de fertilizantes russos, se as sanções fossem aligeiradas,

Recomendadas

Eficiência energética na linha da frente para reduzir dependência de Putin

Governo e empresas analisam o atual momento da eficiência energética. Defendem que chegou a altura de Portugal e a Europa acelerarem para desligar a ficha de Moscovo e do regime de Vladimir Putin. Sector energético português está comprometido com metas.

Wimbledon: João Sousa e o australiano Jordan Thompson afastados em pares

O tenista português João Sousa e o australiano Jordan Thompson foram hoje eliminados na segunda ronda de pares de Wimbledon.

Itália alerta para subida de preço da energia por fecho do Nord Stream

O ministro da Transição Ecológica italiano, Roberto Cingolani, alertou hoje que se espera um novo aumento do preço da energia em Itália depois de a Rússia anunciar o fecho do gasoduto Nord Stream para manutenção, adiantou a EFE.
Comentários