Guterres está habilitado para “lugar de maior pressão” do mundo

Augusto Santos Silva elogia o recém-empossado secretário-geral da ONU e que é “tranquilizador” saber, num contexto complexo, as Nações Unidas terão em relação ao conflito da Síria “uma perspetiva muito próxima da UE”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, reafirmou esta segunda-feira que António Guterres está “completamente habilitado” para desempenhar o cargo “de maior pressão que existe no mundo”.

Augusto Santos Silva cita Fernando Pessoa para dizer que António Guterres saberá lidar bem com as elevadas expectativas que colocam sobre si. “Pode-se sempre responder a essa pergunta com uma bela frase de Fernando Pessoa, que escreveu «eu sou do tamanho do que vejo, e não do tamanho da minha altura»”. “A visão que António Guterres apresentou em abril na assembleia-geral das Nações Unidas, quando formalizou a sua candidatura, mostra bem o tamanho do que ele vê”, acrescenta.

O ministro diz ainda que “entre as personalidades disponíveis para os tempos de hoje e para os desafios de hoje, (Guterres) era o que tinha melhores condições” para exercer o cargo.

Numa altura em que se vivem “momentos de alguma suspensão de juízos”, porque não se sabe “que evolução vai ter a política externa norte-americana” e há possibilidade de “evolução da posição da Rússia como ator regional no Médio Oriente”, é “tranquilizador saber que não só a UE se mantém unida em torno da sua posição, como contará no novo secretário-geral das Nações Unidas com uma pessoa cuja perspetiva sobre o conflito e sobre as soluções possíveis para o conflito é uma perspetiva muito próxima da (perspetiva) da UE”.

Recomendadas

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Bósnia-Herzegovina: eleições ensombradas por milhares de votos inválidos

Quatro dias após as eleições, ainda não há resultados validados e o risco do não reconhecimento do ato eleitoral ou da sua repetição é grande. Entretanto, na República Srpska, Mirolad Dodic jura fidelidade a Moscovo.

Lado turco de Chipre exige reconhecimento às forças de paz da ONU

A República Turca do Chipre do Norte, país que só a Turquia reconhece, quer que a força de paz da ONU, que está no terreno desde 1964, reconheça a existência do país. Ou então que se retire.
Comentários