Guterres pede retirada das tropas russas da Ucrânia (com áudio)

“Esta noite, só tenho uma coisa a dizer, do fundo do meu coração: presidente Putin, impeça as suas tropas de atacar a Ucrânia”, disse António Guterres antes de se saber da invasão à Ucrânia.

Jason Szenes/EPA via Lusa

Numa declaração muito antecipada, o secretário-geral da ONU apelou à retirada das tropas russas da Ucrânia após a invasão ter sido oficializada durante a madrugada desta quinta-feira.

Em declarações durante uma reunião da entidade, partilhada no Instagram e no Twitter, António Guterres pediu ao presidente Vladimir Putin que as suas tropas parassem de atacar o país vizinho, agora sob ataque.

“Esta noite, só tenho uma coisa a dizer, do fundo do meu coração: presidente Putin, impeça as suas tropas de atacar a Ucrânia. Dê uma hipótese à paz. Já morreram muitas pessoas”, adiantou na reunião posteriormente transformada em publicações nas redes sociais, de forma a tornar o apelo mais forte.

Mais tarde, e já se sabendo que as tropas russas tinham começado a invadir o país vizinho e algumas bases aéreas já tinham sido atacadas, António Guterres modificou o seu apoio. “Sob as circunstâncias atuais, devo mudar o meu apelo”, escreveu o secretário-geral da ONU.

“Presidente Putin, em nome da Humanidade, leve as suas tropas de volta à Rússia. Este conflito deve parar agora”, acrescentou.

Relacionadas

“Alvo dos russos não é apenas a Ucrânia”. Von der Leyen promete sanções duras para a Rússia

A presidente da Comissão Europeia falou esta manhã sobre o avanço da Rússia na Ucrânia e prometeu sanções duras. “Estamos perante um ato de agressão sem precedentes por parte da liderança russa contra um país soberano e independente”, referiu von der Leyen. Reveja a intervenção da presidente da Comissão Europeia.

Ucrânia. António Costa fala ao país às 10h00

O primeiro-ministro vai abordar a invasão russa da Ucrânia.
Recomendadas

Ucrânia pede ao G7 mais armas e mais sanções contra Moscovo

“A cimeira do G7 deve responder com mais sanções contra a Rússia e mais armas pesadas para a Ucrânia”, insistiu o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kouleba, na rede Twitter.

Reino Unido apela no G7 a apoio “pelo tempo que for necessário” à Ucrânia

O apelo, refere a agência de notícias Efe, que cita um comunicado do Governo de Londres, vai ser feito no arranque da cimeira do G7, que começa hoje e vai durar três dias, no sul da Alemanha.

Reino Unido, EUA, Canadá e Japão proíbem importações de ouro russo

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou, num comunicado, que “estas medidas atingirão diretamente os oligarcas russos e irão até ao coração da máquina de guerra de Putin”.
Comentários