Há hospitais que ainda resistem em adotar medicamentos biossimilares

SNS poupou quase 300 milhões em seis anos com estes fármacos mas o benefício poderia ser ainda maior. Estudo aponta caminhos para aumentar a utilização dos biossimilares.

A adoção dos medicamentos biossimilares (menos dispendiosos do que os biológicos de referência) nos hospitais é lenta, diz o estudo “Determinantes, barreiras e facilitadores da utilização de medicamentos biossimilares nos hospitais públicos”, levado a cabo pela APOGEN e da ENSP-NOVA .

Apesar de, nos últimos seis anos, o SNS ter conseguido poupar mais de 290 milhões de euros através da utilização de cinco fármacos biossimilares, a verdade é que a adesão fica aquém do desejado – a taxa de adesão a estes fármacos era de 74% a nível nacional em novembro de 2021, segundo o Infarmed.

Continue a ler a notícia AQUI.

Recomendadas

Portugal acolhe escritório da OMS dedicado ao empreendedorismo (com áudio)

Vocação inovadora do país e índice de digitalização do SNS contribuíram para a escolha, segundo adianta o Ministério da Saúde. O novo escritório ficará sediado no Porto.

Investigadora da Universidade de Coimbra estuda desenvolvimento cerebrovascular neonatal

Vanessa Coelho-Santos, investigadora da Universidade de Coimbra, recebeu 300 mil euros de financiamento da Fundação La Caixa para estudar o desenvolvimento cerebrovascular neonatal.

Hospital de Lisboa Oriental concluído apenas em 2027 (com áudio)

O contrato ainda não foi assinado, volvidos quase sete meses desde que o Governo assinou o despacho de adjudicação do novo Hospital de Lisboa Oriental (HLO) ao consórcio da Mota-Engil.
Comentários