Há menos quartos para arrendar e preços disparam mais de 18% em Lisboa e Porto

Esta redução na oferta de quartos provocou um aumento em quase todas das cidades e no Porto o preço disparou 20% para uma média de 350 euros mensais.

A oferta de quartos para arrendar em casa partilhada desceu 44% em Portugal nos últimos 12 meses, provocando um aumento no preço em quase todas as cidades do país, revela um estudo publicado pelo Idealista.

Na maioria das cidades analisadas no estudo, a descida do “stock” de quartos para arrendar chegou a ser superior aos 60% e nenhuma registou um aumento de oferta.

Foi no Porto onde mais se verificou essa redução, com menos 84% de quartos disponíveis, seguido por Lisboa, com menos 77%, Leiria, com menos 71%, Aveiro e Setúbal, cidades onde a oferta foi reduzida em 69%, Faro e Braga, cada uma com menos 67%, e Coimbra, que regista uma oferta reduzida em 39%.

Quanto aos preços, esta redução na oferta de quartos provocou um aumento em quase todas das cidades analisadas. Foi no Porto onde os preços mais subiram, sendo 20% mais caros do que há um ano. Segue-se Aveiro (19,8%), Lisboa (18,1%), Leiria (12,2%), Coimbra (8,2%) e Setúbal (4,7%). Faro e Braga fogem à regra: nestas duas cidades os preços desceram 1,9% e 1%, respetivamente.

Lisboa continua a ser a cidade com a oferta de quartos mais caros do país, onde os preços rondam em média os 420 euros mensais. Em segundo lugar está o Porto, com uma média de 350 euros por mês, seguido de Aveiro (300 euros por mês), Setúbal (300 euros por mês) e Faro (300 euros por mês). Por outro lado, das cidades analisadas, as mais económicas para arrendar um quarto são Coimbra (220 euros por mês), Leiria (230 euros por mês) e Braga (260 euros por mês).

O estudo do Idealista revelou ainda que, em média, o perfil de quem partilha casa são pessoas com 33 anos, que vivem no centro de grandes cidades e não fumam, apesar de tolerantes com quem fuma.

Analisando a idade média por cidades, Faro é a cidade que regista a média mais alta, rondando os 38 anos. Segue-se Setúbal, com uma média de idades de 36 anos e Coimbra onde a média é de 34 anos. Em Aveiro e Leiria, a média é de 32 anos em ambas as cidades, seguidas por Braga (30 anos). A média em Lisboa e no Porto é de 29 anos.

Os dados publicados no relatório indicam que o arrendamento de quartos não é apenas uma opção viável para estudantes, incluindo também jovens nos seus primeiros anos no mercado de trabalho e em alguns casos até mais tarde.

O estudo explica que, face à atual conjuntura do mercado de arrendamento português, é cada vez mais difícil para pessoas solteiras ou separadas suportar o custo de uma casa, sendo que muitas optam pela opção mais económica de arrendar um quarto. Por outro lado, partilhar casa pode significar, para muitos jovens, independência face aos pais, uma tendência que deverá aumentar nos próximos anos.

Para a realização deste estudo foram considerados apenas as cidades com uma base estável no Idealista durante o período analisado e com um número mínimo de 40 anúncios.

 

 

 

 

 

 

Recomendadas

Venda de casas em Portugal desceu 8% no verão

Entre os meses de junho e agosto foram vendidas no país 37.900 casas, em comparação com as 41.310 habitações transacionadas no primeiro trimestre do ano.

Promotora imobiliária portuguesa coloca mais 102 apartamentos no mercado

A Solyd Property Developers arrancou a construção do ‘Terraces Mirear’ Bloco B, que se encontra integrado no projeto que está a ser desenvolvido em Miraflores, depois de no final do ano passado ter lançado o primeiro edifício, o ‘Terraces Mirear’ Bloco A.

Avaliação das casas desceu para os 1.414 euros por m2 em agosto

Este valor representa uma ligeira diminuição de três euros face ao mês anterior. A nível homólogo a taxa de variação situou-se nos 15,8%, em comparação com os 16,1% de julho.
Comentários