Hackers roubam dados de mil delatores norte-coreanos e divulgam a Seul

Nomes, datas de nascimento e endereços de 997 delatores foram divulgados à Coreia do Norte através de um computador infectado com software malicioso de uma agência de reassentamento no Sul do país.

As informações pessoais de 997 norte-coreanos que fugiram para a Coreia do Sul foram divulgados depois de hackers terem acedido a um banco de dados de uma agência de reassentamento, confirmou esta sexta-feira o Ministério da Unificação sul-coreano.

O ministério disse ter descoberto na semana passada um conjunto de informações privadas e roubadas como nomes, datas de nascimento e endereços de 997 delatores através de um computador infetado com software malicioso de uma agência chamada Hana Center, na cidade de Gumi.

“O malware foi plantado através de e-mails enviados por um endereço eletrónico interno”, disse um funcionário do governo à comunicação social local, sob condição de anonimato, referindo-se a uma conta de e-mail da agência.

A agência Hana está entre os 25 institutos que o ministério administra no país para ajudar cerca de 32 mil delatores a adaptarem-se à vida no Sul, oferecendo empregos, assistência médica e legal.

Os delatores, a maioria dos quais arriscaram as suas vidas para fugir da pobreza e da opressão política, são uma fonte de vergonha para a Coreia do Norte. A imprensa de Seul costuma chamá-los de “escumalha humana” e acusa espiões sul-coreanos de raptarem alguns deles.

As autoridades recusaram-se a dizer se a Coreia do Norte estaria por trás do ataque, ou qual poderia ter sido o motivo, assegurando, no entanto, que há está uma investigação policial estava em andamento.

Recomendadas

União Europeia, G7 e Austrália limitam barril de petróleo russo a 60 dólares

Os 27 estados-membros da UE chegaram a acordo, esta sexta-feira, no estabelecimento de um teto máximo para o preço do petróleo russo nos 60 dólares por barril. Os sete países mais industrializados do mundo (G7) e a Austrália juntam-se na decisão.

Imigrantes do Bangladesh denunciam extorsão para obter vistos para Portugal

Um dos problemas para os bengalis está no facto de não existir representação diplomática portuguesa no seu país, o que os força a terem que recorrer à vizinha Índia. Entre Daca, capital do Bangladesh, e Nova Deli, capital da Índia, distam mais de 1.800 quilómetros.

Governo italiano aprova envio de armas à Ucrânia para todo o ano de 2023

O Governo italiano aprovou um decreto prolongando o fornecimento de ajuda, incluindo armamento, à Ucrânia para todo o ano de 2023.
Comentários