Hackers russos roubaram 10 milhões de dólares em 18 meses

A empresa de segurança Group-IB identificou 18 bancos que foram alvo de ataques, incluindo dez nos EUA, dois na Rússia e um no Reino Unido, mas também empresas de software financeiro e um escritório de advogados.

Susana Vera/Reuters

Ao longo de 18 meses, um grupo de hackers de origem russa foram roubando vários bancos, nos Estados Unidos, na Rússia e noutros países, através dos sistemas de transferências interbancárias. A informação foi confirmada pela empresa de segurança com sede em Moscovo, Group-IB, à agência Reuters.

Através de ataques informáticos às máquinas de ATM, os ladrões conseguiram ir desviando pequenas quantias de mais de cinco mil organizações. O primeiro ataque do grupo de hackers, que foi apelidado como MoneyTaker, terá acontecido na primavera de 2016, de acordo com o relatório do Group-IB.

A técnica utilizada prende-se com uso de táticas para contornar anti-vírus e outros softwares tradicionais de segurança para eliminar o rasto das operações. Para disfarçar as movimentações, os hackers usam certificados de segurança de marcas reconhecidas como o Bank of America, a Reserva Federal norte-americana, a Microsoft ou a Yahoo.

A empresa de segurança identificou 18 bancos que foram alvo de ataques, incluindo dez nos EUA, dois na Rússia e um no Reino Unido, mas também empresas de software financeiro e um escritório de advogados. O Group-IB garantiu ainda que vai continuar a investigar incidentes em que hackers atacam transferências entre bancos e acreditam que os próximos alvos poderão estar na América Latina.

Recomendadas

Fitch melhora perspetiva do rating do BCP

A mudança de perspectiva para o rating do BCP reflete, em parte, uma maior clareza em torno do provisionamento necessário para cobrir os riscos legais do Bank Millennium com empréstimos hipotecários denominados em francos suíços, na Polónia.

Sindicatos dos Quadros e SIB pedem apoio extraordinário para bancários no ativo

Ainda sobre as medidas do Governo de apoio para fazer face à inflação, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e o SIB (Sindicato Independente da Banca) pedem parecer sobre constitucionalidade do apoio aos pensionistas e exigem apoio extraordinário para bancários no ativo.

Rácio de crédito malparado na banca melhora para 3,4% no segundo trimestre

A queda “reflete a diminuição dos NPL (-4,0%) e o aumento dos empréstimos produtivos (+1,8%)”, explica o supervisor da banca. A rentabilidade também melhorou.
Comentários