Herdade da Torre Bela apresenta queixa crime no Ministério Público contra empresa Monteros de la Cabra

“A Herdade da Torre Bela foi a única entidade fortemente lesada, no seu património e reputação, pela realização de uma montaria ilegítima e abusiva na sua propriedade, no passado dia 17 de Dezembro”, apontam em comunicado.

Herdade da Torre Bela, onde decorreu a morte de 540 animais, apresentou esta segunda-feira, 28 de dezembro, queixa no Ministério Público contra a empresa Monteros de la Cabra, responsável por ter promovido a caçada.

“A Herdade da Torre Bela foi a única entidade fortemente lesada, no seu património e reputação, pela realização de uma montaria ilegítima e abusiva na sua propriedade, no
passado dia 17 de Dezembro”, apontam em comunicado enviado às redações.

Tendo em conta que a Herdade da Torre Bela sente que foi lesada, optou por apresentar “uma queixa crime junto do Ministério Público contra a entidade promotora da referida caçada a empresa Monteros de la Cabra e o seu responsável Mariano Morales e contra desconhecidos, através do seu advogado Dr. Alexandre Mota Pinto, do escritório Uría Menéndez Proença de Carvalho”.

A Herdade considerou “absolutamente evidente que esta caçada ocorreu em inequívoca violação dos direitos de caça adquiridos e ultrapassando os limites acordados por contrato com a entidade exploradora da caçada, limites fixados pela Zona de Caça Turística em conformidade com o permitido pela licença e pelo plano de gestão por si aprovado e que se encontrava à data, em vigor”.

Na missiva sublinham ainda que “repudiam” o sucedido e asseguram que a morte dos animais “não tem qualquer relação com nenhuma outra eventual atividade da Herdade ou dos seus proprietários”.

Noutro comunicado, de 24 de dezembro, a Herdade lamentou “a forma errada, ilegítima e abusiva” como se conduziu a montaria, da qual teve conhecimento apenas pela comunicação social.

Além da queixa crime da Herdade, nesta segunda, a Procuradoria-Geral da República instaurou um inquérito à montaria.

 

Relacionadas

PGR abre inquérito à montaria que resultou na morte de 540 animais na Torre Bela

“Confirma-se a instauração de um inquérito que corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa Norte (Alenquer)”, respondeu ao Jornal Económico fonte oficial do Ministério Público quando questionada sobre o assunto.

Herdade da Torre Bela descarta responsabilidades na montaria que resultou na morte de 540 animais

A Herdade lamenta e repudia a situação, mas descarta quaisquer responsabilidades, afirmando que não teve qualquer responsabilidade direta ou indireta no evento e garantindo que este acontecimento não está relacionado com quaisquer outras atividades planeadas para o terreno, como foi sugerido por vários órgãos e partidos políticos.

Matos Fernandes suspende avaliação de impacto ambiental da Quinta da Torre Bela

Para além da suspensão da avaliação do impacto ambiental para a construção de painéis fotovoltaicos na Quinta da Torre Bela, o ministro revelou que o Governo procedeu à entrega uma queixa no Ministério Público, tendo sido também ordenada uma inspeção a todas as zonas turísticas de caça (1.500 zonas).
Recomendadas

Premium“A organização de cuidados deve estar centrada no doente”

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) prepara-se para entrar numa nova era, com a criação de uma direção executiva. Na discussão inaugural do ciclo de conferências PROJETOR 2030, a saúde foi o tema forte.

Protestos de solidariedade com mulheres iranianas decorrem sábado em Lisboa e Coimbra

Os protestos decorrem depois da polémica morte de Mahsa Amini, uma jovem de 22 anos, por usar o hijab de forma incorreta.

PremiumNova dedução no IRS contribuiria para contrariar desigualdade de géneros

Mulheres ganham menos do que os homens e são também penalizadas fiscalmente uma vez os produtos a elas dirigidos tendem a ser mais caros. Dedução à coleta para contrariar esse cenário seria “o mais simples”, defende APIT.
Comentários