Hoje às 17h: JE editors Talks “Mais Seguro”

Saiba como está o setor segurador a fazer face aos desafios levantados pela pandemia do novo coronavírus numa talk em direto, esta quinta-feira, às 17h.

Como estão estas empresas a lidar com um contexto sem precedentes e quais as recomendações do regulador da indústria para fazer face aos tempos que se avizinham? Saiba a resposta a estas e outras questões a partir das 17h desta quinta-feira.

A talk especial dedicada ao tema complementar o caderno especial que acompanha o seu Jornal Económico de 30 de abril e conta com o apoio da APROSE — Associação Nacional de Agentes e Corretores de Seguros, da Belzuz Advogados, da MGEN e da Tranquilidade.

Poderá assistir à mesma no site e facebook d’O Jornal Económico, no dia 7 de maio, às 17h.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a APROSE — Associação Nacional de Agentes e Corretores de Seguros, a Belzuz Advogados, a MGEN e a Tranquilidade.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.
Comentários