Hoje há greve nas cantinas e pode afetar hospitais e escolas

Os trabalhadores das cantinas, áreas de serviço e bares concessionados cumprem hoje uma greve nacional por aumentos salariais, defesa de direitos e negociação do contrato coletivo, devendo o protesto afetar sobretudo hospitais, escolas, centros de formação e fábricas.

Em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte afirma que “as empresas deste setor de atividade não atualizam os salários há sete anos”, datando a última tabela salarial de 2010.

“Muitos trabalhadores já foram apanhados pelo salário mínimo nacional, quando antes sempre receberam acima deste”, sustenta a estrutura sindical.

Na base do protesto estão ainda práticas das empresas do setor que o sindicato diz serem uma “violação dos direitos dos trabalhadores”, como o não pagamento do trabalho prestado em dia feriado de acordo com o contrato coletivo de trabalho (CCT) em vigor, do subsídio noturno das 20:00 às 22:00, do subsídio de alimentação nas férias e dos salários “de acordo com as funções efetivamente exercidas” pelos trabalhadores.

“Impõem horários de 12 horas diárias e 60 horas semanais, pondo em causa a saúde dos trabalhadores e o direito à conciliação da atividade profissional com a vida pessoal e familiar”, denuncia o sindicato, acusando ainda as empresas de não respeitarem os quadros e densidades previstos no CCT, “impedindo assim a progressão na carreira aos cozinheiros e outros trabalhadores”.

 

Recomendadas

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

“Governo vai mexer nos escalões do IRS no próximo ano”; “Polícias proibidos de disparar com balas reais contra multidões”; “22 mil milhões de euros para a banca”

Marcelo Rebelo de Sousa discursa esta quarta-feira nos 112 anos da República

No plano interno, o chefe de Estado tem alertado para as dificuldades que os portugueses poderão enfrentar no próximo ano e apelado à divulgação pelo Governo do cenário macroeconómico que irá acompanhar a proposta de Orçamento do Estado para 2023, a apresentar dentro de cinco dias.

Marcelo assume contacto a José Ornelas para lhe dizer que envio de denúncia “não foi pessoal”

O Presidente da República assumiu hoje que teve a iniciativa de contactar o bispo José Ornelas para lhe dizer que “não foi pessoal” a denúncia contra ele que encaminhou para o Ministério Público.
Comentários