Hospitais já abriram um terço das camas extra para casos de gripe

Das 1.269 camas previstas no âmbito do plano de contigência das unidades hospitalares do Serviço Nacional de Saúde (SNS) 369 já estão ativas. Em todo o país, já existem cerca de 110 centros de saúde com horário alargado.

HO/Reuters

Os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) já ativaram perto de um terço das camas previstas nos planos de contigência para o inverno. Tratam-se de camas extras para fazer face ao aumento de situações graves a precisar de internamento, conta a edição de 26 de dezembro, de 2019, do jornal Público.

“De um total de 1.269 camas previstas no âmbito dos planos de contigência das unidades hospitalares do SNS, 369 encontram-se ativadas, o que corresponde a 29%”, revela ao “Público” a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), acrescentando que “em todo o país existem cerca de 110 centros de saúde com horário alargado”.

Estas duas medidas fazem parte do plano de inverno para fazer face ao aumento de procura de cuidados provocados pelo frio, gripe e outros vírus respiratórios, sendo que é de esperar que o número de camas adicionais ativadas pelos hospitais aumente nas próximas semanas.

Segundo o boletim diário deste plano divulgado no site da ACSS, o número estimado de episódios de urgência (engloba todos os tipos de urgência) tem variado desde o início do mês entre os 17 mil e quase 22.500. No dia 22 de dezembro (última data publicada) a taxa de atendimentos urgentes com internamento foi de 7,44%.

Recomendadas

Portugal registou 14.852 casos e 45 mortes de Covid-19 na última semana

Todas as regiões do país registaram menos casos do que na semana anterior.

Sysmex investe no aumento da presença no mercado português

O grupo de origem nipónico especializado em diagnósticos e serviços de hematologia, quer aproveitar a retração dos investimentos de outras empresas para cimentar a sua posição no mercado nacional.

Número de pessoas com diabetes tipo 1 pode duplicar até 2040

Perante a falta de conhecimento sobre as causas da doença, os especialistas pedem um diagnóstico atempado e um maior acesso a bombas que automatizam a administração de insulina.
Comentários