Hospital de São João no Porto reativa contentores devido ao aumento de casos suspeitos

O Hospital de São João, no Porto, reativou os contentores destinados a doentes Covid-19 devido à escalada de casos suspeitos que, nos últimos dias, duplicou, atingido uma média diária de 80 doentes, com picos que podem chegar aos 120.

“Estamos, neste mês de dezembro numa média de 80 doentes por dia suspeitos, com picos a chegar aos 120 por dia. Isso já não era comportável na área em que nós estávamos e, portanto, é com naturalidade que adaptámos a nossa função em termos do plano de contingência do Serviço de Urgência”, afirmou, em declarações à Lusa, o Diretor da Unidade Autónoma de Gestão de Urgência e Medicina Intensiva, Nelson Pereira.

De acordo com aquele responsável, nas últimas semanas tem-se assistido a um aumento “paulatino”, mas “progressivo” do número de doentes com queixas respiratórias no Serviço de Urgência.

Nos últimos dias, acrescentou, “esse incremento tornou-se ainda mais significativo”, ao ponto de a área do hospital dedicada aos doentes suspeitos “já não ser suficiente”.

Esta situação levou à tomada de decisão de reabrir a área de contentores instalada no recinto do Hospital do São João desde março de 2020 para dar resposta às necessidades decorrentes da pandemia de covid-19.

Desde julho, altura em que Portugal enfrentava a quarta vaga da pandemia, que esta área não estava a ser utilizada, indicou Nelson Pereira.

À Lusa, o diretor da Unidade Autónoma de Gestão de Urgência e Medicina Intensiva garantiu que, nesta fase, os profissionais que estão a ser alocados para esta área integram a equipa interna do Serviço de Urgência, por forma a não colocar em causa a atividade não covid do Hospital de São João.

A covid-19 provocou pelo menos 5.311.914 mortes em todo o mundo, entre mais de 269 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.687 pessoas e foram contabilizados 1.200.193 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Recomendadas

Vacina experimental contra várias estirpes de gripe pode proteger contra pandemias

Uma vacina experimental contra 20 subtipos de gripe conferiu uma ampla proteção contra estirpes letais do vírus, antevendo-se que possa ser usada como medida preventiva de futuras pandemias da doença, indica o estudo hoje divulgado.

Novo hospital do Oeste deverá reduzir em 237 milhões os gastos por ano em sistemas privados

O novo hospital do Oeste deverá aliviar outros hospitais de mais de 600 mil consultas e 14 mil internamentos e poupar aos utentes que recorrem ao privado 237 milhões de euros por ano, conclui um estudo encomendado pelos municípios.

Covid-19: Transmissão do vírus está no limiar de 1,00 e média de casos baixa para 749

O índice de transmissibilidade (Rt) do vírus que provoca a covid-19 está no limiar de 1,00 em Portugal e a média de infeções baixou para os 749 casos diários, anunciou hoje o Instituto Ricardo Jorge (INSA).
Comentários