Hotelaria do Porto regista quarto maior crescimento da Europa

Preços hoteleiros portugueses atingem os 79 euros por noite, em dezembro. Madeira lidera crescimento e Invicta apresenta maior crescimento europeu a seguir a Málaga, Budapeste e Sevilha. Já Lisboa está na 10.ª posição, revelam dados da trivago Hotel Price Index.

A hotelaria portuguesa encerra 2016 com nota positiva, registando um crescimento dos preços médios de 2,6% em relação ao período homólogo. A média nacional fixa-se agora nos 79 euros por quarto duplo – mais dois euros que no ano passado, de acordo com os dados do mais recente trivago Hotel Price Index. O Porto a apresenta o quarto maior crescimento num ranking de 50 cidades europeias.

Segundo os dados do motor de busca trivago, a Madeira é a região em destaque com um crescimento de 6,1%, liderando o crescimento face a dezembro de 2015, com um quarto duplo a custar uma média de 87 euros por noite (82 euros em dezembro do ano passado). Já o Porto registou um aumento de 10,29% para 75 euros e Lisboa um crescimento de 5,75% para 92 euros, estando, segundo a trivago, “entre os principais destinos europeus com os desenvolvimentos mais expressivos”.

O Porto apresenta este mês, face ao período homólogo, o quarto maior crescimento entre as 50 principais cidades europeias, a seguir a Málaga (14,29%) com um preço médio de 88 euros, Budapeste (11,43%) com 78 euros e Sevilha 810,98%) com 91 euros.

“Pernoitar na Invicta custava em média 68 euros por noite, contra 75 euros este mês”, realça a trivago, acrescentando que a capital portuguesa surge igualmente em destaque, na décima posição, registando assim um dos maiores crescimentos europeus face ao último ano.

Por regiões, logo a seguir à Madeira surge o Algarve na segunda posição (+4,76%), seguido da região de Lisboa (+3,49%), do Centro (+3,13%) e do Norte (+2,90%). Os Açores (-1,59%) e o Alentejo (-4,05%) são as únicas regiões no negativo este mês.

Neste mês de dezembro, destaque positivo, a nível local, para Faro (+19,61%), Aveiro (+13,79%) e Porto (+10,29%). Em sentido oposto, Vila Nova de Gaia (-12,50%), Estoril (-9,09%) e Sintra (-7,32%) registam descidas acentuadas dos seus preços médios.

Cascais, com um custo médio de 109 euros por noite, é a localidade mais cara do país este mês. Já Portimão, com um preço médio de 45 euros, é o destino nacional mais acessível.

Recomendadas

Ministra sinaliza que trabalhadores que recebem salário mínimo não terão perda de poder de compra em 2023

Vem aí uma “negociação intensa”, antecipou a ministra do Trabalho, à saída da reunião em que apresentou aos parceiros sociais as propostas do Governo para o acordo de rendimentos. Entre elas, está a vontade que o salário mínimo suba mais do que a inflação.

Fenadegas pede apoio para adegas cooperativas e produtores de vinho

A Fenadegas diz que “contrariamente às expetativas criadas, nas medidas anunciadas pelo governo para colmatar os efeitos negativos desta crise, não foi previsto nenhum apoio específico para os produtores de vinho e suas unidades de vinificação”.

Goldman Sachs prevê queda de 1% do PIB da zona euro até ao segundo trimestre

“Os sectores químico e automóvel da Alemanha confirmam que o ritmo de paralisações por causa do aumento dos custos de energia provavelmente acelerará”, reforçam os economistas do Goldman Sachs.
Comentários