i4.0 – Lead the Digital Transformation: dois anos de trabalho que chegam ao fim

A INOVA-RIA, a SANJOTEC e a Associação FRAUNHOFER Portugal Research, cientes das suas responsabilidades no tema da indústria 4.0 e transformação digital, promoveram, ao longo dos últimos dois anos, o projeto i4.0 – Lead the Digital Transformation.

Este projecto veio fomentar a adoção de metodologias de Indústria 4.0 nas PME portuguesas, em sectores tradicionais e tecnológicos, através da promoção de ações de benchmarking que permitissem assimilar a informação necessária para a sua transformação digital, de forma a potenciar a competitividade e a criação de valor.

Tendo em conta as suas características e ações previstas, o consórcio que liderou esta iniciativa comprometeu-se a colmatar e fazer face a algumas necessidades e problemáticas do tecido económico nacional, nomeadamente:

  • Dificuldade das PME nacionais em determinar o seu estágio no processo de transformação e maturidade digital, a partir de perspetivas tecnológicas e organizacionais emergentes;
  • Necessidade de obter conhecimento, tecnologias e competências que alavancassem os setores tradicionais e TICE em Portugal, de forma a aumentar a competitividade dos mesmos;
  • Falta de players nacionais de dimensão, com massa crítica e capacidade para marcar presença em concursos internacionais e para alavancar a estrutura das PME;
  • Dificuldade das empresas nacionais na adoção da Indústria 4.0;
  • Necessidade de promover a valorização e transferência de tecnologia, a qualificação de recursos humanos e o desenvolvimento de novas áreas de competência, como a digitalização da indústria.

Este projeto, que apresentou abrangência de intervenção na Região Norte e Centro (NUTS II), foi uma iniciativa de capacitação das empresas, incitando à cooperação entre os empresários dos setores tradicionais e TICE, cujo objetivo foi captar, produzir e fomentar o acesso a informação e ferramentas por parte das PME, através da inovação organizacional, aplicando novos métodos e processos organizacionais e incrementando a flexibilidade e a capacidade de resposta no mercado global, com recurso a melhores condições de acesso a mercados, tecnologias e competências.

De todo o trabalho realizado, resultaram três estudos que permitem perceber melhor o contexto em que se inserem as PME nacionais, bem como o caminho (ou parte dele) que falta ser traçado para que a i4.0 seja implementada de forma eficaz:

  • Indústria 4.0 nos setores tradicionais em Portugal: um estudo de diagnóstico de necessidades;
  • Indústria 4.0: Estudo de Benchmarking;
  • Guião de boas práticas para a implementação de i4.0 nas PME.

Acerca da i4.0, Paulo Marques (INOVA-RIA) diz que “a conetividade de objetos e equipamentos intervenientes em processos industriais com métodos de produção e tecnologias de informação e comunicação, permitem criar redes de informação e controlo, em tempo real, melhorando a eficiência e a produtividade bem como a adoção de estratégias de produção e customização em massa.”.

No entanto, a transformação digital que agora se procura recai sobretudo em mudanças e agilidade de processos, auxiliados pela tecnologia, numa estratégia de integração da tecnologia com todas as áreas da empresa. Embora a tecnologia seja o elemento-chave neste conceito de indústria 4.0, a transformação digital que se espera alcançar não se resume meramente à implementação tecnológica.

De um modo geral, a opinião do consórcio é a de que, apesar do tema i4.0 não ser novo, é necessário continuar a tratá-lo de forma exaustiva, conjuntamente com todos os envolvidos e interessados nesta transformação digital. Ana Sampaio Correia, da SANJOTEC, considera que que o feedback dos participantes das diversas iniciativas “(…) foi bastante positivo. Nesse sentido, trabalharemos para que todo o conhecimento, rede e sinergias criadas não terminem após este projeto. Continuaremos constantemente em busca de novas oportunidades estratégicas para continuar a apoiar as empresas, fomentando a sua capacitação, assim como a cooperação entre os empresários dos setores tradicionais e TICE e as entidades do sistema científico e tecnológico, com vista a que este seja apenas o ponto de partida desta transformação digital que queremos liderar.”

Seminário de encerramento terá lugar em São João da Madeira.

O projeto culminará com um seminário de encerramento que terá lugar no próximo dia 31 de Maio, pelas 14h00, no edifício S1 da SANJOTEC (São João da Madeira) e contará com a presença de uma panóplia de oradores de variadíssimas áreas. Temáticas como a i4.0 na área do calçado (Sanjo), indústria automóvel (Critical Techworks e Grupo ERT), no sector do café (Delta Cafés) ou na recolha e análise de dados (Associação Portuguesa de Business Intelligence) serão abordadas. Haverá igualmente uma pequena mostra de projetos inovadores na área da indústria 4.0.

A participação neste evento é gratuita mediante inscrição prévia, que poderá fazer aqui.

Poderá aceder a mais informações e ao programa atualizado no site www.leadthedigital.com.

Este projeto foi cofinanciado pelo Compete 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Fraunhofer, InovaRia e Sanjotec.

Recomendadas

À beira dos 100 anos de vida, Disney está prestes a perder os direitos sobre o Mickey

Os direitos de autor sobre a personagens estão quase a expirar e vão passar para domínio público, como consequência da lei dos Estados Unidos.

Jogos Olímpicos 2024. Empresa portuguesa recebe cinco milhões para construção arquitetónica

O contrato está inserido numa operação de 136 milhões de euros e visa a construção da Arena Porte de la Chapelle, que vai servir de palco para os Jogos de 2024.

MP pede ao Tribunal da Concorrência para manter coima de 48 milhões à EDP e empresa pede absolvição

O Ministério Público pediu hoje ao Tribunal da Concorrência para manter a coima de 48 milhões de euros aplicada à EDP Produção por abuso de posição dominante, tendo a empresa defendido a absolvição “pura e simples”.
Comentários