Iberdrola e BP juntam-se e vão investir na mobilidade elétrica e na produção de hidrogénio verde

A joint venture das duas empresas tem o propósito de criar até 11 mil postos de carregamento de veículos e visa gerar um máximo de 600 mil toneladas de hidrogénio verde por ano.

A Iberdrola e a bp chegaram a acordo para um investimento de até mil milhões de euros na mobilidade elétrica, com a instalação de postos de carregamento de veículos em várias zonas da Península Ibérica. As empresas anunciaram em comunicado que vão avançar também para a produção de hidrogénio verde em larga escala, com o objetivo de gerar um máximo de 600 mil toneladas por ano em Portugal, Espanha e no Reino Unido.

A joint venture entre as duas companhias consagra a intenção de criar 11 mil pontos de carregamento público e ultrarrápido em Portugal e Espanha até 2030. O plano é que, até 2025, cinco mil destes já estejam finalizados. A Iberdrola e a BP vão incluir os seus atuais e futuros centros de carregamento rápido neste projeto, que visa a expansão do acesso à rede, quer para automóveis de passageiros, quer para frotas de veículos pesados e carrinhas.

As empresas estão a estudar o desenvolvimento de soluções conjuntas para servir os consumidores com veículos elétricos no Reino Unido.

De forma a acelerar a transição energética, também vai fazer parte da joint venture o investimento na produção de até 600 mil toneladas de hidrogénio verde por ano, em Portugal, Espanha e no Reino Unido, integrando uma nova capacidade de energia renovável. Além disto, serão também produzidos os seus derivados, como o amoníaco verde e o metanol, com potencial para ser exportado para o Norte da Europa.

A parceria visa combinar a capacidade da Iberdrola no desenvolvimento das energias renováveis com o estatuto da bp no processamento e comercialização de gás, juntamente com a carteira de clientes das duas empresas, refere-se no mesmo comunicado.

O presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, destacou o objetivo de “acelerar o desenvolvimento industrial da Europa e gerar, ao mesmo tempo, bem-estar e novas oportunidades para todos através de energias limpas.”

Por seu turno, o CEO do Grupo bp, Bernard Looney, referiu que “o desenvolvimento de soluções energéticas com baixo teor de carbono que os nossos clientes procuram, exige a integração de diferentes tecnologias, capacidades e formas de energia, e podemos consegui-lo mais rapidamente e em maior escala quando trabalhamos em parceria com outras empresas.”

Ambos os acordos de joint venture devem estar concluídos até final do ano.

Recomendadas

Grupo da transportadora aérea Sevenair aumenta receitas devido aos cursos de piloto

A Sevenair Academy viu o EBITDA fixar-se ligeiramente acima dos 2 milhões de euros no ano passado.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.

SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.
Comentários