Ifo: O índice que mede o clima de confiança dos empresários alemães caiu em dezembro

O Ifo Business Climate Index subiu para 117,2 pontos em dezembro face a 117,6 pontos [ajustado à sazonalidade] em novembro. Isto deveu-se a expectativas de negócios menos otimistas.

Hamburgo (Alemanha)

O índice de confiança empresarial na Alemanha baixou ligeiramente em dezembro até aos 117,2 pontos depois do máximo histórico de 117,61 pontos que tinha alcançado em novembro, informou hoje o Instituto de Investigação Económica (IFO).

O Ifo Business Climate Index subiu para 117,2 pontos em dezembro face a 117,6 pontos [ajustado à sazonalidade] em novembro. Isto deveu-se a expectativas de negócios menos otimistas. As avaliações do ambiente atual de negócios, ao contrário, foram mais positivas este mês. “As empresas alemãs estão cheias de espíritos festivos”, diz o instituto.

Os empresários avaliam a situação atual do seu negócio de uma forma melhor do que no mês passado (com 125,4 pontos, face aos 124,5 de novembro). No setor industrial, o índice não conseguiu manter o seu nível recorde de novembro, embora os empresários valorizem a situação atual devido ao aumento de pedidos, refere o IFO, que mensalmente produz este inquérito a cerca de 7.000 empresas alemãs.

As empresas esperam um crescimento dos preços no setor. No comércio grossista, a confiança baixou consideravelmente, assim como a satisfação com a situação do negócio e a valorização das perspetivas para os próximos meses. No comercio a retalho, o clima de confiança subiu, com os empresários a aguardarem pela época natalícia e que a situação dos seus negócios melhore nos próximos meses.

Na construção, o índice que avalia o ambiente empresarial melhorou. Logo a confiança empresarial aumentou igualmente no setor da construção, assim como os indicadores sobre a estimativa da situação atual e expectativas.

Recomendadas

PremiumAfinal, pensão de mil euros vai subir mais 60 euros do que o previsto

Tanto a inflação que conta para o aumento das pensões, como o crescimento económico superaram as expectativas, obrigando o Governo a atualizar as pensões acima do que estava previsto.

Supervisor do BCE insta bancos a prepararem-se para “impactos adversos” (com áudio)

O presidente do Conselho de Supervisão do Banco Central Europeu (BCE), Andrea Enria, instou hoje os bancos da zona euro a preparem-se para “impactos adversos”, admitindo uma “possível recessão” devido à vulnerável situação económica, exacerbada pela crise energética.

PremiumOrçamento da câmara de Caminha não prevê 300 mil euros de rendas a devolver

O presidente da câmara pediu a devolução de 300 mil euros pagos ao promotor de centro de exposições. Mas verba não está prevista no orçamento. Oposição diz que edil não tem esperanças de receber.
Comentários