IGCP vai ao mercado levantar até 1.750 milhões em dívida a seis e a 12 meses

O IGCP precisou que as maturidades dos BT hoje leiloados são em 18 de novembro de 2022 (seis meses) e em 19 de maio de 2023 (12 meses).

Cristina Bernardo

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) realiza hoje dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT) a seis e a 12 meses, com um montante indicativo global entre 1.500 e 1.750 milhões de euros.

O IGCP precisou que as maturidades dos BT hoje leiloados são em 18 de novembro de 2022 (seis meses) e em 19 de maio de 2023 (12 meses).

Nos anteriores leilões comparáveis, em 16 de março, o IGCP colocou 1.750 milhões de euros em BT, montante máximo indicativo, a seis e a 12 meses, com as taxas de juro negativas, mas a subirem nos dois prazos.

Em BT com maturidade em 17 de março de 2023 (12 meses) foram colocados 1.250 milhões de euros à taxa de juro média de -0,467%, superior à de -0,574%, registada em 19 de janeiro, quando foram colocados 1.005 milhões de euros.

A procura de BT a 12 meses atingiu 1.910 milhões de euros, 1,53 vezes o montante colocado.

No prazo mais curto, de seis meses, foram colocados 500 milhões de euros à taxa de juro média de -0,571%, superior à de -0,596% verificada em 19 de janeiro, quando foram colocados 495 milhões de euros em BT com a mesma maturidade.

A procura cifrou-se em 1.300 milhões de euros, 2,60 vezes o montante colocado.

Recomendadas

Wall Street recupera e vai de fim de semana com subidas

Ainda assim, os títulos da Meta Platforms, que detém o Facebook, deslizaram após vir a público que a empresa liderada por Mark Zuckerberg está a cortar os planos de contratação de engenheiros, antecipando uma eventual desaceleração económica.

PSI fecha no verde com EDP Renováveis a disparar mais de 5% e EDP mais de 4%

Apesar da leitura preliminar da inflação, no mês de junho, ter registado um novo pico, acima do esperado, os mercados não reagiram negativamente. Ainda assim as bolsas da Europa fecharam mistas. Energia e utilities em forte alta.

Wall Street entra em julho com o pé esquerdo

O sector dos semicondutores está a cair após a empresa Micron Technology, fabricante de chips, ter apresentado um ‘guidance’ fiscal para o quarto trimestre que desiludiu o mercado. As concorrentes perdem mais de 2% no arranque da última sessão da semana.
Comentários