IGCP vai realizar troca de OT amanhã para alongar maturidades e baixar custo

A primeira emissão que vai ser recomprada, segundo a informação pública, tinha sido emitida em novembro de 2018 à taxa de 4,95% e o montante é de 498 milhões de euros. A segunda emissão foi emitida em 2017 à taxa de 5,65% e o montante colocado foi de 550 milhões de euros. O IGCP vai emitir dívida a 6 e 13 anos em troca.

Cristina Bernardo

O IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública vai realizar uma oferta de troca de Obrigações do Tesouro nesta quarta-feira, dia 6 de julho de 2022, de dívida que vence em outubro de 2023 e 2024 por dívida que irá ser emitida a seis e a 13 anos.

O leilão de troca vai ser realizado pelas 10h00 horas e consiste numa oferta de troca recomprando as emissões “PTOTEAOE0021– OT 4,95% 25out2023” e “PTOTEQOE0015– OT 5,65% 15fev2024”, ou seja emissões que venceriam a 25 de outubro de 2023 e a 15 de fevereiro de 2024, por novas emissões que vencem, respectivamente, em 2028 e 2035.

A primeira emissão que vai ser recomprada, segundo a informação pública, tinha sido emitida em novembro de 2018 à taxa de 4,95% e o montante é de 498 milhões de euros. A segunda emissão foi emitida em 2017 à taxa de 5,65% e o montante colocado foi de 550 milhões de euros.

Em troca da recompra destes títulos a instituição liderada por Cristina Casalinho vende uma emissão a seis anos “PTOTEVOE0018– OT 2,125% 17out2028”, emitida com juro de 2,125% e maturidade em outubro de 2028. Vende também, em troca da recompra da atual emissão que vence em 2024, uma emissão de OT a 13 anos, que vence em outubro de 2035, e com um juro de 0,9% (PTOTENOE0034– OT 0,9% 12out2035). Não foi avançado o valor das novas emissões.

Recomendadas

Energia empurra PSI para o ‘vermelho’. Europa perde terreno no início da semana

As principais praças europeias estão todas a negociar em terreno negativo, com França a liderar as perdas. Lisboa recua na linha d’água, a perder 0,04%, e é a que menos desvaloriza.

JE Bom dia. Alemanha divulga inflação de janeiro. Mercado atento às declarações do presidente da Fed

Do outro lado do Atlântico, o mercado vai estar atento às declarações do Presidente da Reserva Federal, que discursa esta segunda-feira, dias depois de a Fed ter reduzido pela segunda vez consecutiva o ritmo de subida das taxas de juro em 25 pontos base.

Topo da Agenda. O que não pode perder nos mercados e na economia esta semana

As atenções estão viradas para o consumidor esta semana, que arranca com indicadores de confiança e termina com novos dados da inflação por parte do INE. Lá fora, alguns bancos centrais voltam à mesa de trabalhos para decidir sobre novas subidas das taxas de juro. A semana reserva ainda os resultados de alguns nomes pesados de Wall Street.
Comentários