IL reúne Conselho Nacional no domingo para discutir OE2022, Ucrânia e 25 de abril

Reunião realiza-se este domingo, em Cascais. Também serão analisadas a guerra na Ucrânia e a preparação das celebrações do 25 abril, em que o partido promoverá um desfile próprio.

Presidente do Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim Figueiredo | Foto: Cristina Bernardo

A Iniciativa Liberal (IL) reúne o Conselho Nacional do partido no domingo, 24 de abril, para analisar a situação política, especialmente a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), apresentada na semana passada, informou o partido, em comunicado.

O encontro decorrerá em Cascais, no hotel Pestana Cidadela Cascais – Pousada & Art Discrict.

Além da proposta de OE2022, o Conselho Nacional da IL analisará “a guerra na Ucrânia e a preparação das celebrações do 25 abril”.

A IL vai voltar este ano a comemorar o 25 de abril com um desfile próprio, que inclui a descida da Avenida da Liberdade, em Lisboa. Segundo o partido, a Associação de Ucranianos em Portugal aceitou o convite dos liberais e vai participar nesta “Marcha Liberal” do 25 de abril.

Da ordem de trabalhos da reunião de domingo, a primeira do Conselho Nacional desde as legislativas, consta, também, a revisão de regulamentos e regimentos e a aprovação das contas de 2021 e do orçamento para 2022.

O Conselho Nacional é o órgão da IL responsável por acompanhar e orientar a estratégia política do partido adotada em Convenção Nacional, desempenhando um papel como “fórum de reflexão e aconselhamento estratégico”, segundo os estatutos da IL.

São membros do Conselho Nacional os membros da Comissão Executiva do partido, incluindo o presidente, João Cotrim de Figueiredo, e 50 membros não-executivos eleitos em listas.

A presidente da mesa do Conselho Nacional é Mariana Leitão.

Relacionadas

Cotrim Figueiredo: “As verdadeiras decisões vão acontecer no Orçamento do Estado para 2023”

Para o líder da Iniciativa Liberal o Governo encarou “o Orçamento como meio Orçamento”.
Recomendadas

Jerónimo critica Governo por recusar aumentar salários e travar escalada de preços

“Em vez de agir e decidir para travar a escalada dos preços e promover o aumento dos salários e reformas, fica-se pela política das meias-tintas”, criticou Jerónimo de Sousa, referindo-se ao Governo de António Costa.

PremiumGoverno prepara ações para ter mais portugueses na Comissão Europeia

Representação portuguesa está um terço abaixo do que devia e pode cair ainda mais, com reformas. Governo elegeu esta como uma das prioridades da Secretaria de Estado dos Assuntos Europeus.

PremiumLei laboral arrisca sair da Concertação sem acordo

A Agenda do Trabalho Digno está de volta à Concertação Social, mas será difícil obter um resultado diferente do obtido no final de 2021, isto é, patrões e sindicatos deixam sinais de que o acordo não está à vista.
Comentários