Imobiliária Zome fechou 2022 com mil milhões de euros em volume de negócios

Este resultado representa um crescimento de 35,5% em comparação com 2021. O valor médio de habitações transacionadas foi de 218 mil euros, o que significou um aumento de 11,9% face ao ano anterior.

Patrícia Santos, CEO da Zome

A imobiliária Zome terminou o ano de 2022 com um volume de negócios de mil milhões de euros, o que representou um crescimento de 35,5% em comparação com 2021, tendo realizado 5.770 transações, que corresponderam a uma faturação de 27,5 milhões de euros, mais 11,1% do que no ano anterior.

No ano em análise, o valor médio de habitações transacionadas pela imobiliária foi de 218 mil euros, o que significou um aumento de 11,9% face ao ano anterior.

Noutra vertente, a empresa duplicou o número de hubs que tem na Península Ibérica, para um total de 44, tendo em Portugal feito a sua entrada nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Em crescimento esteve também o número de colaboradores que aumentou 62,4%, para um total de 1.744 colaboradores.

Patrícia Santos, CEO da Zome, refere que “esta evolução está alinhada com a nossa ambição de crescer em Portugal, mas também em Espanha, multiplicando o ADN Zome pela Península Ibérica. Acreditamos que, muito em breve, vamos assinalar o marco dos 50 hubs imobiliários”.

Recomendadas

Arrendar casa em Portugal ficou mais caro. Preços subiram 21% em 2022

Com o novo aumento de preços, Lisboa mantém o estatuto de cidade onde é mais caro arrendar casa em Portugal. Preço do metro quadrado fixou-se em 18,3 euros.

Gabinete de arquitetura OpenBook fechou 2022 com faturação de seis milhões

Este valor representa um aumento de 50% em comparação com o ano anterior. Para este ano a OpenBook estima atingir os 7,5 milhões de euros.

Preço de venda e arrendamento de casas desce em janeiro

Lisboa é o distrito mais caro para comprar e arrendar casa, já Portalegre é o mais barato.
Comentários