Impresa quer cortar 4 milhões em custos no próximo ano

Próxima de finalizar a venda de 12 revistas a Luís Delgado, o grupo Impresa vai continuar a reduzir custos, em 2018, através de despedimento coletivo.

Foto cedida

A Impresa Publishing, que edita o “Expresso” e a “Blitz”, quer reduzir os custos em quatro milhões de euros em 2018, já depois de concretizada a venda das revistas do grupo ao empresário Luís Delgado, apurou o JE junto de diferentes fontes.

O grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão está a negociar a venda de 12 revistas, incluindo a “Visão”, a “Exame” e a “Caras”. O processo deverá estar concluído no primeiro dia útil de 2018 e deverá implicar a saída de entre 110 a 115 trabalhadores para a empresa de Luís Delgado.

A comissão de trabalhadores da Impresa critica o facto de, a 15 dias da transferência de ativos, ainda não existir informação sobre os trabalhadores que ficam no grupo e quais os que serão transferidos.

Este processo de alienação das revistas insere-se num processo mais vasto de reestruturação, que continuará em 2018. Num comunicado interno, a que o Jornal Económico teve acesso, a comissão de trabalhadores da Impresa diz que a administração do grupo definiu como “imperativo obter uma poupança de 4 milhões de euros, com vista a assegurar a rentabilidade da publicação “Expresso” e marcas adjacentes já a partir de 2018”.

Fontes do grupo de media contactadas pelo Jornal Económico apontaram a saída de 10 jornalistas do jornal “Expresso” e 30 trabalhadores de outros departamentos. Referiram que foi aberto um programa de rescisões e que os serviços da empresa contactaram directamente jornalistas para aderirem. Um comunicado da comissão de trabalhadores a que o Jornal Económico teve acesso confirma que “a administração da Impresa Publishing continua a abordar trabalhadores incitando-os a rescindir o seu contrato com a empresa e pressionando-os à tomada de uma decisão”.

As mesmas fontes referiram que os 30 trabalhadores não-jornalistas deveriam ser alvo de despedimento coletivo.

Segundo informação que a comissão de trabalhadores atribui à administração da Impresa, a reestruturação em curso não será concretizada “apenas com pessoal”, mas também “em outras áreas, tais como rendas, fornecedores, etc.”.

Recomendadas

Vodafone. Quatro anos depois e com ações a valerem menos 40%, Nick Read renuncia ao cargo de CEO

A atual diretora financeira, Margherita Della Valle será CEO interina, avança a “Reuters”. As ações da empresa subiram 1,6% no pre-market em resposta ao anúncio.

Acionistas da Corticeira Amorim votam hoje contas até setembro e e dividendo de 9 cêntimos

Os acionistas da Corticeira Amorim votam hoje, em assembleia geral, as contas individuais dos primeiros nove meses do ano e a distribuição de um dividendo bruto de nove cêntimos por ação.

Efacec. Novos candidatos devem manifestar interesse até hoje (com áudio)

Os potenciais candidatos à reprivatização da Efacec devem enviar as manifestações de interesse à Parpública até às 17h00 de hoje, segundo um anúncio publicado na imprensa na semana passada, após o fracasso da venda da empresa ao grupo DST.
Comentários