‘Independente’ Putin arranca campanha para reeleição

Putin, que pela primeira vez concorrerá como candidato independente às eleições de março de 2018, realçou que a Rússia é “obrigada a defender a liberdade, estabilidade e a concórdia na sociedade para que os avanços sejam irreversíveis”.

Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, iniciou nesta terça-feira a campanha eleitoral para as eleições presidenciais russas com uma mensagem de que não irá mudar o rumo traçado pelo Kremlin.
“Não devemos sair do rumo que traçámos, caso contrário teremos que começar do zero mais uma vez”, disse Putin, ao discursar num fórum da Frente Popular da Rússia. A informação é da EFE.

Putin, que pela primeira vez concorrerá como candidato independente às eleições de março de 2018, realçou que a Rússia é “obrigada a defender a liberdade, estabilidade e a concórdia na sociedade para que os avanços sejam irreversíveis”.

“Devemos defender tudo o que alcançámos, embora seja modesto. Vejo isto como o nosso objetivo comum e, certamente, o meu dever pessoal e a minha responsabilidade cívica como chefe de Estado e candidato à Presidência”, destacou.

O governante disse que desde que chegou ao poder, há 18 anos, a Rússia conseguiu superar situações “críticas”, mantendo suas integridades territoriais e atingindo progressos substanciais no âmbito social, económico e militar.

“Alcançámos por nós mesmos. Lembremos que depois da queda da URSS, ouvimos muitos discursos lindos, mas realmente ninguém nos ajudou. E não contávamos com isso, uma vez que não precisamos de nenhuma ajuda exterior”, disse.

“Criámos um novo país, restabelecemos uma Rússia forte e independente, aprendemos a defender firmemente os nossos interesses”, sublinhou o presidente, dizendo que a Rússia deve recuperar a liderança em muitos campos nos quais a União Soviética era líder mundial, especialmente na ciência, medicina, cultura e tecnologia, além de criar uma nova economia e desenvolver a Sibéria, o leste russo e o Ártico.

 

Recomendadas

Santana Lopes perspetiva ano económico “muito difícil” em 2023

Santana Lopes mencionou também o aumento “escandaloso” de quatro vezes a taxa base do custo da tarifa de tratamento dos resíduos sólidos urbanos a pagar à Empresa de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro (ERSUC), cujo acionista base é privado.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.
Comentários