Índia quer ser observador na Comunidade de Países de Língua Portuguesa

Numa declaração à agência Lusa, o primeiro-ministro disse que o seu homólogo Narendra Modi lhe comunicou que a Índia decidiu requer o estatuto de observador na Comunidade de Países de Língua Portuguesa, contando iniciar o processo rapidamente.

Foto: Portal do Governo – Paulo Vaz Henriques

Os primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e da Índia, Narendra Modi, tiveram uma reunião de trabalho antes do Chefe do Governo português ter discursado como convidado de honra nas cerimónias de comemoração do 150.º aniversário de Mahatma Gandhi, em Nova Deli.

Os dois primeiros-ministros discutiram as formas de aprofundar as boas relações bilaterais – que atravessam uma fase muito positiva, impulsionada pelas visitas recíprocas dos dois primeiros-ministros em 2017 –, mas também as relações entre a União Europeia e a Índia, e temas de âmbito regional e global de mútuo interesse.

Numa declaração à agência Lusa, o primeiro-ministro disse que o seu homólogo Narendra Modi lhe comunicou que a Índia decidiu requer o estatuto de observador na Comunidade de Países de Língua Portuguesa, contando iniciar o processo rapidamente. Pode continuar a ler o artigo aqui.

Recomendadas

Confederações agrícolas unem-se contra extinção das direções regionais do sector

Em comunicado conjunto enviado esta quarta-feira às redações, AJAP, CAP, CNA e Confagri referem que o entendimento “unânime” é de que a decisão é “altamente lesiva” para o sector agrícola. No documento, apela-se a que o Governo volte atrás na decisão, de forma imediata e inequívoca.

Novo regulamento para a descarbonização do transporte marítimo já entrou em vigor

As alterações em causa, que visam a prevenção da poluição atmosférica por navios, dizem respeito ao Anexo VI da Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navio (MARPOL). Medidas entraram em vigor no dia 1 de novembro.

Expo Fish regressa a Portugal na próxima semana para promover as atividades ligadas ao mar

Está confirmada a presença de pelo menos 75 empresas, provenientes de 37 mercados internacionais. Foram solicitadas mais de 175 reuniões, segundo informa a organização em comunicado.
Comentários