Índice de produção na construção cresceu 4,5% no mês de outubro

O Índice de Produção na Construção registou uma taxa de variação homóloga de 4,5% em outubro face aos 4,2% de setembro. Já os índices de emprego e de remunerações cresceram 3,2% e 4,0% (2,6% e 3,1% em setembro), respetivamente.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

O índice de produção na construção registou, em outubro, uma taxa de variação homóloga de 4,5%,
após ter aumentado 4,2% em setembro, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira.

Por sua vez, o índice de emprego neste setor verificou uma taxa de variação homóloga de 3,2%, face aos 2,6% de setembro. Em relação ao mês anterior este índice aumentou 0,8%, com uma variação de 0,3% em outubro de 2017).

Já o índice de remuneração nesta área registou de forma efetiva uma taxa de variação homóloga de 4,0%, comparado aos 3,1% do mês anterior. Comparado com o mês de setembro, o índice das remunerações cresceu 1,8%, (1,0% em relação a outubro de 2017),

No que diz respeito à produção neste setor os índices dos dois segmentos considerados (construção de edifícios e engenharia civil) aceleraram. A construção de edifícios passou de uma variação homóloga de 5,2% em setembro para 5,3% em outubro, contribuindo com 3,2 pontos percentuais (p.p.) para a evolução do índice agregado.

Já a engenharia civil registou uma taxa de variação homóloga de 3,2% (2,7% no mês anterior), ao qual correspondeu um contributo de 1,3 p.p. para o índice agregado.

Recomendadas

Mota-Engil e Quadrante vão reabilitar e expandir estádio na Costa do Marfim

O estádio Félix Houphouët-Boigny, em Abidjan, na Costa do Marfim vai contar com uma área de cerca de 27 mil m2 e capacidade para receber cerca de 30 mil espectadores.

Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro e empresa Verallia Portugal fecham aumento de 140 euros/mês

A partir de 1 de janeiro, o salário mais baixo da tabela salarial nesta empresa de fabrico e reciclagem das embalagens de vidro passará a ser 1.260,00 euros.

Mota-Engil assina contrato de concessão em Angola no valor de 450 milhões de dólares

O contrato tem um prazo inicial previsto de 30 anos e prevê um investimento total de 450 milhões de dólares (451,8 milhões de euros), dos quais 166 milhões de dólares em infraestruturas e 70 milhões em material circulante.
Comentários