Indústria alemã vê no Brexit e em Trump os maiores riscos para crescimento económico

A economia alemã, a maior da Europa, deverá apresentar a sua menor taxa de crescimento dos últimos anos em 2018. Contudo, a maioria das previsões prevê uma sólida taxa de crescimento de cerca de 1,5% para o próximo ano.

Stefan Wermuth / Reuters

Os principais grupos industriais da Alemanha assumem que a saída da Inglaterra da União Europeia e as disputas comerciais desencadeadas pelas políticas do presidente norte-americano Donald Trump representam os maiores riscos para o crescimento e a prosperidade, revela a agência “Reuters” esta quarta-feira.

A economia alemã, a maior da Europa, deverá apresentar a sua menor taxa de crescimento dos últimos anos em 2018. No entanto, a forte procura interna significa que muitas empresas ainda são capazes de expandir os seus negócios.

Numa investigação levada a cabo pela “Reuters”, os dirigentes das principais associações da indústria alemã referem que “não viram a economia a entrar em recessão e que a maioria das previsões prevê uma sólida taxa de crescimento de cerca de 1,5% para 2019.

“O maior risco a curto prazo é o Brexit. A economia britânica enfrentará a ameaça direta de uma recessão que indiretamente afetará também a Alemanha”, afirmou Dieter Kempf, presidente da associação da indústria alemã BDI.

Holger Bingmann, diretor do grupo de comércio BGA, também assume que o Brexit é “o problema mais urgente para a economia alemã”, enquanto uma escalada das disputas comerciais internacionais desencadeadas pelos Estados Unidos poderá prejudicar a retoma económica do país europeu.

A economia alemã terá crescido cerca de 1,5 por cento este ano, em comparação com os 2,2 por cento de 2017.

Recomendadas

Portugal sobe duas posições no Ranking Mundial de Talento e é agora o 24.º mais competitivo

Portugal melhora sobretudo na Investigação & Desenvolvimento e na Preparação. O podium mundial é liderado pela Suíça, Suécia e Islândia, as três economias mais competitivas em talento a nível mundial entre os 63 países analisados pela escola de negócios IMD.

António Costa: Ambiente+Simples ajuda investimento nas renováveis

O primeiro-ministro afirmou que a desburocratização e a digitalização da administração pública é fundamental para reduzir custos e facilitar o investimento nas renováveis.

Presidente do Peru detido após ser destituído e acusado de golpe de Estado

Pedro Castillo foi detido e está na sede da polícia de Lima, depois de ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a sua dissolução.
Comentários