INE: avaliação bancária da habitação sobe em outubro

O valor médio de avaliação bancária da habitação no total do país fixou-se em 1.081 euros/m2 o que traduz um aumento de 0,5% face ao mês anterior e de 3,8% em termos homólogos, avança o INE.

Em outubro de 2016, o valor médio de avaliação bancária da habitação no total do país fixou-se em 1.081 euros/m2 (aumento de 0,5% face ao mês anterior e de 3,8% em termos homólogos), avança o INE.

No mesmo mês, o valor médio da avaliação bancária dos apartamentos foi de 1.125 euros/m2, registando um aumento de 0,2% em relação ao mês anterior e um aumento 3,3% em relação ao período homólogo.

O valor médio da avaliação bancária das moradias fixou-se em 1.010 euros/m2, aumentando 0,9% face ao mês precedente e aumentando 4,8% em termos homólogos.

Por regiões registaram-se as seguintes variações do valor médio da avaliação bancária face ao mês anterior: Norte (0,4%); Centro (0,7%); Lisboa (0,2%); Alentejo (-0,1%); Algarve (-1,2%); Região Autónoma dos Açores (2,2%) e Região Autónoma da Madeira (3,2%).

Em termos homólogos, verificaram-se as seguintes variações: Norte (4,5%); Centro (4,2%); Lisboa (2,6%); Alentejo (0,6%); Algarve (4,8%); Região Autónoma dos Açores (1,3%) e Região Autónoma da Madeira (2,2%).

Recomendadas

Comunidades pedem a António Costa que resolva “discriminação” de pensionistas

O Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa (CRCPE) endereçou hoje uma carta ao primeiro-ministro de Portugal a solicitar a atualização das pensões e reformas para evitar perdas do valor futuro das pensões e reformas dos portugueses no estrangeiro.

JMJLisboa2023. Portugal terá retorno económico de cerca de 350 milhões de euros

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza no próximo mês de agosto em Lisboa, vai ter um retorno económico para Portugal de cerca de 350 milhões de euros, revelou hoje o coordenador do evento nomeado pelo Governo.

Câmara de Grândola aprova nova descida do IMI e alargamento do IMI familiar

A Câmara Municipal de Grândola aprovou, na passada quinta-feira, as propostas de redução do IMI de 0,34% para 0,33%, e de alargamento do IMI familiar para famílias com um dependente. Reduções que são para vigorarem em 2023.
Comentários