INE: Avaliação bancária subiu para 1.380 euros por m2 em maio

O valor mediano de avaliação bancária subiu 24 euros face ao registado em abril, de acordo com uma nota divulgada hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

António Augusto Aguiar 23

O valor mediano de avaliação bancária ascendeu a 1.380 euros no mês passado, uma subida de 24 euros face ao registado em abril, de acordo com uma nota divulgada hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A taxa de variação fixou-se em 13,9% (13,0% em abril) em termos homólogos.

O valor da avaliação, que é realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, aumentou 1,8% face a abril (1 356 euros/m2).

Segundo o organismo de estatísticas, o número de avaliações bancárias consideradas foi de cerca de 33 mil, mais 8,0% do que as registadas no mesmo mês de 2021.

De acordo com o INE, o maior aumento face ao mês anterior registou-se na Região Autónoma da Madeira (1,8%), tendo a Região Autónoma dos Açores sido a única que apresentou uma variação em cadeia negativa (-0,3%).

O valor mediano das avaliações cresceu 13,9% face ao mês homólogo, registando-se a variação mais intensa no Algarve (18,0%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (6,8%).

Quanto aos apartamentos, e maio “o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1 529 euros/m2, tendo aumentado 15,3% relativamente a maio de 2021. Os valores mais elevados foram observados no Algarve (1 840 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 825 euros/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (973 euros/m2). O Algarve apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (20,6%), tendo a Região Autónoma da Madeira apresentado o menor (9,8%)”, detalhou o INE no mesmo boletim.

“Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação subiu 1,5%, tendo o Centro registado a maior subida (2,8%). A única descida verificou-se no Alentejo (-0,1%). O valor mediano da avaliação para apartamentos T2 subiu 21 euros, para 1 550 euros/m2, tendo os T3 subido 26 euros, para 1 371 euros/m2. No seu conjunto, estas tipologias representaram 79,4% das avaliações de apartamentos realizadas no período em análise”, é ainda referido na nota do INE.

Recomendadas

Gestor da Ascendi Miguel Martín sucede a Cristina Casalinho na presidência do IGCP

O gestor da Ascendi Miguel Martín vai suceder a Cristina Casalinho na presidência do IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, de acordo com despacho das Finanças hoje publicado em Diário da República.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Remessas dos emigrantes subiram 5,6% até junho para 1.848 milhões de euros

As remessas dos emigrantes subiram 5,6% no primeiro semestre deste ano, passando de 1.749 milhões de euros, nos primeiros seis meses de 2021, para 1.848 milhões, até junho deste ano, segundo o Banco de Portugal.
Comentários