INE: Licenciamento de edifícios cai 7,9% no segundo trimestre

No segundo trimestre, foram licenciados 6.200 edifícios, o que representa uma subida de 2,9% face a igual período de 2019, de acordo com dados do INE.

Alcântara Gardens – Conjunto Residencial Real Quinta do Calvário (Lisboa)

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou hoje que, no segundo trimestre deste ano, foram licenciados 6.200 edifícios, o que corresponde a uma variação de -7,9% em relação ao mesmo período do ano passado (+1,6% no primeiro trimestre de 2022), mas de +2,9% em comparação com o primeiro trimestre de 2019.

O número de edifícios licenciados em construções novas reduziram 6,7% (+5,3% no primeiro semestre de 2022), o que corresponde a um crescimento de 9,9% face ao segundo trimestre de 2019, de acordo com dados do INE.

O licenciamento para reabilitação apresentou uma variação de -9,5% (-8,6% no 1º trimestre de 2022), o que gerou um decréscimo de 14,8% relativamente ao segundo trimestre de 2019.

Estima-se que tenham sido concluídos 3,6 mil edifícios no segundo trimestre de 2022, menos 4,9% que no período homólogo (-0,5% no primeiro trimestre de 2022) e mais 7,0% que no segundo trimestre de 2019.

Quando comparados com o trimestre anterior, os números mostram um decréscimo de 10,0% nos edifícios licenciados (+21,8% no primeiro trimestre do ano) e a quantidade de edifícios concluídos reduziu 5,8% (-3,1% no primeiro trimestre de 2022).

Numa análise mensal, há a destacar o decréscimo de 16,4% no licenciamento de edifícios em maio, face ao mesmo período do ano que passou. Comparativamente com maio de 2019, registou-se uma redução de 17,4% no número de licenciados.

No primeiro semestre de 2022 foram licenciados menos 3,1% edifícios do que no período homólogo, mas os números cresceram 6,3% face ao mesmo semestre de 2019.

Recomendadas

Airbnb. Anfitriões em Lisboa ganharam mais de 11 milhões com a Web Summit desde 2016

O ano passado, um anfitrião típico em Lisboa ganhou em média 400 euros. Nos quatro dias do evento de tecnologia, que regressa à capital portuguesa no próximo mês, foram acolhidos 11 mil hóspedes.

JLL vende projeto para a construção de 514 novos apartamentos em Almada

O empreendimento está localizado no Feijó, na margem sul do Tejo, e tem uma capacidade de construção próxima de 51 mil metros quadrados, informa a própria JLL em comunicado.

Lisboa ultrapassa Madrid, Barcelona e Milão como cidade mais cara do sul da Europa (com áudio)

Em agosto de 2022, Lisboa apresentou um preço médio venda de 4.817 euros por metro quadrado, tendo registado o maior aumento, na casa dos 5,4%.
Comentários