INE: Vendas no comércio a retalho subiram 13,9% em fevereiro

As vendas no comércio a retalho subiram 13,9% em fevereiro deste ano, uma aceleração em termos homólogos de 10,0% em janeiro, de acordo com dados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As vendas no comércio a retalho subiram 13,9% em fevereiro deste ano, uma aceleração em termos homólogos de 10,0% em janeiro, de acordo com dados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No boletim relativo ao Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho, o INE explica que o crescimento “é indissociável de um efeito base, particularmente intenso no comércio não alimentar, tendo o índice total contraído 14,2% em fevereiro de 2021, mês marcado pelo confinamento decretado no início do ano anterior devido ao agravamento da pandemia”.

O organismo de estatística justifica a evolução do índice agregado com a existência de diferentes dinâmicas, tendo os Produtos Alimentares registado uma variação negativa de 2,4%, depois de ter subido 2,8% no mês anterior, enquanto os Produtos Não Alimentares tiveram um crescimento de 11,4%, passando de um crescimento de 19,0% em janeiro para 30,4% no mês em análise.

“Estas evoluções foram bastante influenciadas pelo efeito base já mencionado, tendo as taxas de variação homólogas variado -1,4% e -24,2%, pela mesma ordem, em fevereiro de 2021”, esclarece o INE, destacando a subida de 89,5 % dos Têxteis, vestuário, calçado e artigos de couro, para um crescimento de 157,9% em fevereiro.

De acordo com o INE, os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas registaram variações homólogas de 4,6%, 6,9% e 20,7%.

Ainda nos mesmos índices, a taxa de variação mensal foi de -0,3%, 0,6% e -0,1%, respetivamente (-1,4%, 0,5% e -11,4% em fevereiro de 2021)

 

Recomendadas

Calendário do PRR é para manter

Eventual adiamento do calendário do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), sugerido há poucas semanas por Marcelo Rebelo de Sousa e Mariana Vieira da Silva, será de muito difícil concretização. Foco vai permanecer na execução. O tema foi abordado nas contactos que uma equipa da Comissão Europeia teve esta quarta-feira em Lisboa com o Governo, grupos parlamentares e parceiros sociais.

Finanças reembolsam 2.475 milhões de IRS. Prazo médio de pagamento regressa ao pré-pandemia

Até agora, foram entregues cerca de 5,5 milhões de declarações de IRS pelos contribuintes, sendo que 32% foram submetidas através do IRS Automático (preenchimento automático dos dados da declaração por parte da AT, através das informações comunicadas de forma automática às Finanças) e 68% foram submetidas de forma manual, revela o Governo.

Défice orçamental cai 411 milhões até maio. Saldo primário é positivo em 2,5 mil milhões

A melhoria do saldo das Administrações Públicas até maio reflete a dissipação dos efeitos da pandemia, refere o Ministério das Finanças em comunicado.
Comentários