Inflação anual na Turquia atinge 83,45%, um valor recorde em 24 anos

Em termos mensais, a inflação aumentou 3,05% em setembro, informou o Instituto de Estatística da Turquia.

2 – Turquia

A inflação anual na Turquia atingiu os 83,45% em setembro, um valor recorde em 24 anos que se verifica depois de o banco central cortar as taxas de juro nos últimos dois meses, apesar da subida dos preços.

Em termos mensais, a inflação aumentou 3,05% em setembro, informou o Instituto de Estatística da Turquia.

A inflação turca está a um nível nunca visto desde meados de 1998, impulsionada por uma política experimental do banco central de reduzir as taxas de juro, o que reduz o valor da lira.

Os cálculos de economistas independentes sobre a subida dos preços colocam a inflação anual em 186%, que é mais do dobro do valor oficial.

Em agosto e setembro, a taxa de juro fixada pelo banco central baixou de 14% para 12%, seguindo uma política controversa defendida pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

O presidente turco tem apoiado taxas baixas para incentivar o consumo, a produção e o emprego, o que muitos analistas consideram uma estratégia político com vista às eleições gerais e presidenciais em junho do próximo ano.

O presidente mudou quatro vezes o governador do banco central desde julho de 2019, segundo os analistas, por não seguirem as suas ideias de baixar os juros apesar da alta inflação.

Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários