Inflação da zona euro sobe para 1,5% em novembro

A estimativa final relativa ao mês passado foi divulgada esta segunda-feira pelo Eurostat.

A inflação da zona euro foi de 1,5% em novembro, o que representa uma subida de 1 ponto percentual face ao mês anterior, de acordo com a estimativa final divulgada esta segunda-feira pelo Eurostat.

Segundo os dados do organismo de estatística da União Europeia, a inflação anual do bloco europeu foi de 1,8% em novembro deste ano, tendo registado 1,7% em outubro. No ano passado, a taxa foi de 0,6%. Já em novembro de 2016, a inflação dos países de moeda única foi de 0,6%.

A ligeira subida na inflação da zona euro deve-se sobretudo ao impacto dos combustíveis para transporte (+0,21 pontos percentuais), gasóleo para aquecimento (+0,07 pontos percentuais) e leite, queijo e ovos (+0,05 pontos percentuais). Por outro lado, as telecomunicações (-0,11 pontos percentuais), as roupas (-0,07 pontos percentuais) e a proteção social (-0,04 pontos percentuais) assinalaram os maiores impactos em sentido contrário.

“As taxas anuais mais baixas foram registadas no Chipre (0,2%), na Irlanda (0,5%) e na Finlândia (0,9%). As taxas anuais mais altas foram registadas na Estónia (4,5%), na Lituânia (4,2%) e no Reino Unido (3,1%). Em comparação com outubro de 2017, a inflação anual caiu em quatro Estados-Membros, permaneceu estável em nove e subiu em quinze”, refere o relatório do Eurostat.

Recorde-se que em outubro, a taxa de inflação anual fixou-se nos 1,4% na zona euro e nos 1,7% na União Europeia, acima da homóloga mas aquém da registada em setembro. Já na zona euro, a taxa de inflação anual de 1,4% de outubro compara-se com a de 0,5% no mês homólogo de 2016 e a de 1,5% de setembro.

Notícia atualizada às 10h19

Relacionadas

Prestes a reduzir estímulos, BCE volta a rever em alta projeção económica

Estimativa do banco central é que a economia da zona euro cresça 2,4% este ano e 2,3% no próximo. No entanto, a inflação deverá continuar a falhar a meta pelo menos até 2020.

Inflação sobe para 1,5% em novembro

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou esta quinta-feira de manhã o Índice de Preços no Consumidor em Portugal relativo ao mês de novembro.
Recomendadas

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.

Alemanha não vai seguir “política fiscal expansionista” do Reino Unido

O Governo alemão anunciou um fundo de 200 mil milhões de euros destinado a proteger consumidores e empresas do aumento dos preços do gás impulsionado pela guerra na Ucrânia.
Comentários