“Inflação é o grande desafio que se coloca ao setor da construção”, destaca CEO do Grupo CVM no “Conversas com Norte”

Severino Ponte, CEO do Grupo CVM, reconhece que a escalada dos preços dos materias de construção, acentuada pela guerra na Ucrânia, pode até colocar em causa a meta definida quanto à faturação que, para este ano, é de 32 milhões de euros. Ouça a entrevista de Nuno Braga, jornalista do JE, no podcast “Conversas com Norte”.


 

Ouça e acompanhe o podcast “Conversas com Norte” em:

Spotify | Google Podcasts | Apple Podcasts

 
O Grupo CVM (Construções Vila Maior), sediado em Vila Nova de Gaia, é, a norte, um dos nomes fortes na área da construção, reabilitação e promoção.

Oferece atualmente várias soluções que vão desde a construção de habitação prime, à reabilitação integral de edifícios, tendo, nos últimos 10 anos, construído 900 frações no Porto e Vila Nova de Gaia.

Fundado em 1999, o grupo encaixou 24 milhões de euros no ano passado e prepara-se para investir 140 milhões, até 2024, na construção de 15 edifícios.

O futuro é, portanto, encarado com otimismo, embora a subida galopante da inflação coloque alguns problemas às empresas a atuar no setor da construção.

Severino Ponte, CEO do Grupo CVM, reconhece que a escalada dos preços dos materias de construção, acentuada pela guerra na Ucrânia, pode até colocar em causa a meta definida quanto à faturação que, para este ano, é de 32 milhões de euros.

Ouça a entrevista de Nuno Braga, jornalista do JE, no podcast “Conversas com Norte”.

Recomendadas

Mota-Engil vai alargar ‘board’ para 17 membros no dia 30. Paulo Portas e José Pinto Nogueira entram

Nas propostas que serão votadas a administração da empresa indica como futuros elementos o antigo vice-primeiro-ministro Paulo Portas, confirmando uma informação avançada pelo Jornal Económico, bem como João Pedro Parreira e José Nogueira Pinto. Da administração sai Xiangrong Wang, que apresentou a renúncia a 22 de dezembro.

Custos da construção desaceleraram para 11,7% em novembro

Esta subida corresponde a uma descida de 0,6 pontos percentuais (p.p) do que o verificado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações de 15,4% e de 6,7%, respetivamente face ao período homólogo.

Mota-Engil propõe Carlos Mota Santos para CEO e ‘chairman’ 

Carlos Mota Santos exerce atualmente o cargo de vice-presidente da comissão executiva da empresa. Em causa está a “renovação geracional” do grupo do sector da construção.
Comentários